Bem-Estar

Poltronas confortáveis, filas e tempo de espera: o que avaliamos em um atendimento de hospital?


Com o objetivo de expandir a qualidade da assistência médico-hospitalar privada no Brasil, assim surgiu a Associação Nacional de Hospitais Privados, a Anahp, em 2001. Da mesma forma, nasce o blog Saúde da Saúde. Aqui, vamos abordar informações sobre prevenção, promoção do bem-estar e da saúde e, principalmente, informações úteis que possam contribuir para uma reflexão sobre o papel da saúde privada no Brasil.

Abrindo este espaço, vamos abordar um assunto que, para quem é paciente, é de suma importância: o atendimento de uma unidade hospitalar. Buscar um hospital ao sentir-se doente costuma ser um problema para a maioria das pessoas. Porém, muitas vezes, é inevitável. Quando é esse o caso, precisamos ter a certeza de que seremos bem atendidos e, de preferência, sem demora. Afinal, ninguém gosta de ir a um lugar e não ser tratado como deveria, principalmente, quando procuramos atendimento no hospital.

Qualidade nos hospitais: acreditação hospitalar

Mas, o que nos leva a avaliar positivamente um hospital e fazer dele nossa referência no momento de cuidar da saúde? É a equipe da recepção, os médicos e enfermeiros? Ou o conforto oferecido na espera pelo atendimento e nos leitos em caso de necessidade de internação?

Muitos fatores podem compor essa avaliação. Um deles, sem dúvida, é a segurança fornecida ao paciente na realização de qualquer procedimento, além da certificação por parte dos órgãos competentes da qualidade desses estabelecimentos. Em 2016, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) divulgou a lista de hospitais que atendem aos principais critérios de qualidade quanto à assistência prestada à população.

Muitos hospitais da rede Anahp fazem parte da relação desses hospitais com certificado de acreditação máxima divulgada pela ANS. Além disso, para que um hospital seja aceito como membro da rede Anahp é necessária que a unidade cumpra com uma série de requisitos, entre eles possuir acreditações específicas que comprovem a sua excelência. Esta é uma forma da Associação contribuir para elevação dos padrões das unidades hospitalares privadas do País.

Hoje, com o a acesso fácil e rápido à informação por meio da internet, ficou mais simples pesquisar sobre a história do hospital, sua equipe e suas especialidades, além de saber o que outras pessoas têm a dizer sobre a sua experiência no local. As notícias sobre o atendimento no hospital deixaram de ser apenas transmitidas apenas pelo boca a boca, embora esse tipo de comunicação e troca de impressões ainda ocorram.

O que mais avaliar em um atendimento no hospital?

Um fator muito importante na avaliação dos pacientes sobre um hospital é a higienização, como revelou uma pesquisa feita pela FutureBrand para a Anahp nas cidades de São Paulo e Recife. Boa parte dos entrevistados relatou que presta atenção na limpeza do ambiente hospitalar e, em casos de higienização mal feita, não costumam retornar ao local.

Já em relação à infraestrutura, um local que ofereça conforto com poltronas adequadas para aguardar também influencia positivamente na avaliação dos pacientes. Além disso, a organização e a agilidade, sem muitas filas e tempo de espera, são aspectos importantes para avaliação do atendimento de um hospital, de acordo com a pesquisa.

Equipamentos modernos e com a manutenção em dia também são importantes mas, acima de tudo, está o cuidado humanizado e a atenção prestada na hora do atendimento. A satisfação da maior parte dos clientes em relação ao hospital começa na recepção. Quem chega até lá, normalmente, está com alguma dor, em um momento de estresse devido à preocupação com a saúde. Por isso, o mínimo que se espera no primeiro atendimento é a empatia da pessoa que está ali para recebê-lo.

Atendimento humanizado

Esse atendimento feito de forma humanizada se estende a todos os setores até chegar à equipe médica.  O indivíduo que busca o atendimento no hospital espera sair de lá com o problema resolvido, ou pelo menos com um plano de ação que ele entenda e que possa confiar.

Os pacientes avaliam ser importante ter um médico que olhe diretamente para eles e os escute, demonstre interesse, não apenas como um portador de uma doença, mas como alguém que possui um nome e uma história. Com um atendimento humano, um elo de confiança estabelece-se na relação médico-paciente, ampliando, assim, as possibilidades de um tratamento eficaz.