Prevenção

Arritmia cardíaca é comum acima dos 40 anos? Conheça

Você sabia que, normalmente, um coração sadio e descansado tem de 60 a 100 batidas por minuto? Mas, às vezes, um batimento acelerado pode significar mais do que parece. É o caso da arritmia cardíaca, um dos principais problemas do coração que tem se tornado comum entre brasileiros, especialmente aqueles na faixa etária dos 40 anos.

Mas o que é arritmia cardíaca?

A arritmia cardíaca é, basicamente, uma alteração nos batimentos do coração. Apesar disso, há variações: se o coração estiver batendo rapidamente, é chamado de taquicardia. Do contrário, se muito devagar, é chamado de bradicardia.

A arritmia mais comum é a fibrilação atrial, que ocorre por um ritmo irregular dos átrios. Se eles estiverem trabalhando de forma desorganizada e rápida, acaba impossibilitando que o coração bombeie sangue suficiente para suprir as necessidades do corpo. Isso pode causar um infarto ou até mesmo outras doenças mais graves, como formação de um trombo, insuficiência cardíaca e derrame.

Vale lembrar que a arritmia cardíaca existe tanto da forma benigna – causando um leve desconforto no paciente -, e maligna, levando a morte súbita. Ela pode ser sentida tanto na região do tórax, garganta ou pescoço.

Quais os sintomas mais comuns?

Além da alteração dos batimentos cardíacos que citamos, existem outros sintomas importantes para identificar uma arritmia:

  • Falta de ar
  • Dores no peito
  • Suor em excesso
  • Desmaio sem motivo aparente
  • Palpitações
  • Tontura

A idade também pode ser outro motivador para um dos problemas do coração, especialmente para os pacientes na faixa etária dos 40 anos e 70 anos. Pessoas que já possuem outras doenças como diabetes, hipertensão, alcoolismo e até mesmo casos na família de arritmia cardíaca, estão mais suscetíveis a essa enfermidade.

Exames para identificar uma arritmia cardíaca

Algumas das alternativas para detectar uma doença cardíaca, além de uma visita ao cardiologista mais próximo, são:

  • Ecocardiograma – Funciona como uma ultrassonografia e mostra imagens do coração. Seu propósito é verificar a estrutura e o funcionamento do órgão.
  • Eletrocardiograma – Considerado um dos exames de rotina, ele integra o check-up cardiológico, seja por meio de eletrodos colocados sob a pele no tórax, nos braços e nas pernas.
  • Holter – Ele será o “vigia” da sua atividade cardíaca por pelo menos 24 horas. Durante esse período, você terá alguns eletrodos colados na região do tórax, conectados por meio de cabos ao gravador, que ficam fixado na cintura.

Para prevenção é sempre recomendável manter uma rotina saudável com exercícios físicos e alimentação regrada. Mas para aqueles que já apresentam algum dos sintomas citados, é recomendável uma visita ao médico antes de qualquer prática física.

Vale lembrar que doenças cardiovasculares chegam a matar 300 mil pessoas por ano, só no Brasil, e 41 milhões de pessoas no mundo. Por isso, não se esqueça de deixar seus exames em dia. Ao apresentar algum dos sintomas de arritmia cardíaca, procure um médico.