Todos os posts de Bowie

Conselho Federal de Medicina anuncia medida que autoriza telemedicina no Brasil

O Conselho Federal de Medicina anunciou na semana passada uma medida que autoriza a realização de consultas online, telecirurgias e telediagnóstico, entre outras formas de atendimento à distância. O órgão abriu prazo de 60 dias para receber contribuições relativas à resolução 2.227/2018, que atualiza critérios para a prática da telemedicina no Brasil. A regulamentação entra em vigor em três meses.

O texto estabelece a telemedicina como exercício da medicina, mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde, podendo ser realizada em tempo real ou offline.

Com o objetivo de aperfeiçoar a norma, o CFM  receberá propostas dos Conselhos Regionais de Medicina e das entidades médicas. As contribuições serão analisadas, com possibilidade de implementação, após a deliberação do plenário do Conselho Federal de Medicina.

Vantagens do atendimento à distância

A nova resolução do CFM permite consultas online desde que haja uma ficha médica feita presencialmente. “Quando um paciente chega com algum sintoma no pronto-socorro, imediatamente o médico do plantão faz o contato com um neurologista e relata o que está acontecendo. Este médico do outro lado da tela avalia os exames e fala com o paciente, se necessário, e aponta qual procedimento deve ser feito”, explica José Luciano Monteiro Cunha, coordenador da área de Neurologia do Hospital Leforte.

“Com a tecnologia em nuvem e o acesso on-line de documentos e exames, acreditamos que vamos avançar na atuação à distância, pois resultados de uma avaliação feita em um local podem ser debatidos com profissionais em outro hospital. Atuamos com o bem mais precioso que é vida humana e sabemos que hoje podemos contar com todas as ferramentas tecnológicas para melhor o atendimento aos pacientes”, comenta Cunha.

De acordo com pesquisa realizada pela Associação Paulista de Medicina/Global Summit,  em dezembro de 2018, com retorno espontâneo de 848 entrevistados, 84,67% dos médicos afirmaram usar ferramentas de tecnologia da informação para observação dos pacientes e otimização do tempo de consulta. Segundo o estudo, o prontuário eletrônico é a ferramenta mais utilizada, com 76,75% das respostas entre os que já incorporaram a tecnologia na rotina.

Entenda o que é e como lidar com uma crise de ansiedade

Ansiedade e nervosismo são sensações normais do ser humano. Ao falar em público, sob pressão no trabalho ou diante de situações do dia a dia, esse sentimento pode aparecer como uma reação natural do corpo. No entanto, quando chega a níveis extremos, é preciso se atentar. Mas você sabe o que é e como controlar uma crise de ansiedade?

Momentos de crise de ansiedade podem acontecer com qualquer pessoa. Entre seus aspectos principais estão o medo e a preocupação extrema, o que acaba aumentando a tensão e o estresse interno, levando a confusão mental e sintomas físicos.

Sintomas de crise de ansiedade

Com o aumento da adrenalina no sangue durante uma crise, alguns sintomas comuns podem aparecer, como:

  • Medo e preocupação extrema e incontrolável;
  • Dificuldade em se concentrar e irritabilidade;
  • Taquicardia e fortes palpitações;
  • Hiperventilação ou sensação de sufocação;
  • Tremores e sudoreses;
  • Tensão muscular e cansaço.

É importante procurar ajuda médica ao menor sinal, apenas um especialista poderá diagnosticar o distúrbio e indicar o melhor tratamento.

Como controlar uma crise de ansiedade

Mesmo com medicação e terapia alguns sintomas podem reaparecer às vezes. Além de seguir à risca o tratamento indicado por um especialista, há algumas pequenas medidas disponíveis que podem auxiliar a evitar uma crise.

Atualmente diversos aplicativos ajudam a prevenir e a controlar as emoções durante uma crise. Eles disponibilizam sons relaxantes, desaceleram a mente ou registam o que foi sentido. Os mais utilizados são:

  • Querida Ansiedade: criado por uma psicóloga, oferece meditações e exercícios.
  • Pacífica: cria uma rotina de tarefas para prevenir uma futura crise.
  • MindShift: oferece sons relaxantes e permite que o usuário relate o que está sentindo
  • Calm: possui exercícios de respiração e meditação simples que podem ser feitos  em qualquer lugar.

Fique atento na hora de buscar soluções ou alternativas na internet, pois muitas podem não ser úteis e acabam agravando ainda mais a situação.

Mindfulness para tratar ansiedade

Mindfulness (atenção plena) é um estado mental que serve como um antídoto para a vida no “piloto automático”, facilitando o maior reconhecimento de nossas emoções e impulsos. São diversas técnicas utilizadas para treinar esse estado mental, que se relaciona, em partes, com a meditação.

O especialista e coordenador da Especialização em Mindfulness da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Marcelo Demarzo, apresenta em seu blog que diversos programas do método estão se tornando comuns dentro das universidades. Os resultados mostram uma melhoria no bem-estar e diminuição nos sintomas de ansiedade e depressão.

É indicado realizar uma avaliação do ritmo de vida e optar por situações menos estressantes, anotar fatores que podem desencadear uma crise e evitá-los. Além disso, praticar exercícios físicos, fortalecer o autoconhecimento, manter uma dieta natural e investir em momentos de lazer são medidas simples que podem ajudar a controlar uma crise de ansiedade.

Acne solar: aprenda a prevenir

O verão é a época do ano em que todo mundo quer sair para passear na praia, aproveitar sol e se divertir na piscina. Porém, é preciso tomar muito cuidado com certos problemas comuns neste período, entre eles, a acne solar.

A acne no verão é um problema que afeta muitas pessoas que não se protegem durante exposição prolongada ao sol. Bolinhas vermelhas e, em alguns casos, com pus, podem ser vistas como acne. Geralmente aparecem nas regiões do rosto, pescoço, colo, ombros, costas e braços.

Há diversas formas de tratamento e prevenção, porém, primeiro é preciso identificar qual o grau do problema, antes de saber como tratar acne.

Como tratar a acne solar?

O problema da acne no verão nem sempre pode ser visto como um dano causado pelo excesso de exposição solar. Por isso, para saber como tratar acne corretamente, é preciso, como dito anteriormente, verificar o grau do problema.

Em muitos casos, a acne solar é causada pelo uso de produtos que não condizem com a necessidade de sua pele. Bronzeadores e protetores livres de oleosidade, por exemplo, tendem a aumentar a incidência de acne no verão.

Outro ponto importante a ser considerado é a quantidade de suor produzido pelo corpo em dias muito quentes. O calor excessivo aumenta a produção de sebo, podendo entupir os poros. Quando você deixa de usar produtos não-comedogênicos, o suor tende a piorar o quadro, pois o creme acaba fazendo o efeito reverso.

Para aprender como tratar acne corretamente, é recomendado que você tome cuidados básicos. Lavar o rosto com sabonetes específicos (líquidos, de preferência) para tirar a oleosidade e usar protetor solar sem adição de óleo, são apenas dois exemplos de como você pode tratar a acne solar. Em casos mais graves, é indicado uma consulta com especialista para um possível tratamento a longo prazo.

Eu consigo me prevenir?

A acne solar pode ser prevenida de forma bem simples e eficaz. Um dos métodos de prevenção está no uso contínuo de sabonetes adequados para o seu tipo de pele. Além disso, como dito anteriormente, usar protetores solares sem adição de óleo é uma das formas de evitar que o calor excessivo venha a entupir os poros.

Outras formas de evitar que você venha a querer saber como tratar acne, estão relacionadas a como lidar com ela no dia a dia. Não espremer as inflamações vermelhas que surgem na pele, é apenas uma das condições para evitar que elas possam vir a se agravar. Além disso, o ato impede que sua pele fique com lesões sérias.

É importante enfatizar que, embora a acne solar tenha uma maior incidência no verão, ela pode ocorrer durante o ano todo. Então é importante que a prevenção e tratamento sejam considerados para qualquer época do ano, principalmente no inverno, que é a estação mais indicada para tratamentos que amenizam o problema.

Saiba como tratar queimaduras: 77% delas acontecem em ambientes domésticos

Todos os anos, pelo menos um milhão de pessoas sofrem queimaduras no Brasil. Destes, 77% acontecem em ambientes domésticos, os dados são da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ). Ainda segundo a entidade, cerca de 40% desses eventos ocorrem com crianças menores de 10 anos. Mas você sabe a melhor forma de tratar queimaduras?

Devido à falta de instruções sobre como agir logo após o ocorrido, as pessoas tendem a dificultar o diagnóstico e até agravar a situação dos ferimentos. Em muitos casos, as vítimas desenvolvem traumas físicos e psicológicos para toda a vida.

TIPOS DE QUEIMADURAS

As queimaduras são classificadas de acordo com o tipo de lesão causada. Mas é importante se atentar para a profundidade e a extensão do ferimento, esses dois fatores são essenciais para identificar o melhor tratamento.

Queimaduras de primeiro grau: são aquelas que atingem a camada superficial da pele. Apresentam vermelhidão, inchaço, calor e dor. São bastante comuns em pessoas que se expõem ao sol por um longo tempo, sem proteção.

Queimaduras de segundo grau: costumam atingir a camada mais profunda da pele, causando bolhas, dor intensa e inchaço. Em alguns casos, pode ocorrer desidratação. Esse tipo de queimadura é causado por exposição a vapores, líquidos e sólidos muito quentes.

Queimaduras de terceiro grau: atingem os tecidos mais profundos, como os músculos. Comumente esse tipo de queimadura pode não ser dolorosa, já que as terminações nervosas são destruídas junto com a pele. Nesses casos cirurgias de enxerto de pele devem ser realizadas.

COMO TRATAR QUEIMADURAS

Esqueça os inúmeros remédios caseiros para queimaduras. Pasta de dentes, manteiga, clara de ovo, pomadas… Nada disso deve ser usado. Além de sujar o local do ferimento, essas substâncias podem retardar a cicatrização e o tratamento. O mais indicado é lavar o local queimado com água abundante, cobrir com um tecido limpo e dirigir-se a um pronto-socorro imediatamente.  

A SBQ alerta que toda queimadura pode se complicar, por isso a agilidade na busca por um profissional faz toda a diferença. O Brasil já conta com centros especializados para o tratamento de queimaduras, com diversas inovações tecnológicas, como curativos que ajudam a impedir infecções e aceleram a cicatrização.

A PREVENÇÃO EM AMBIENTES DOMÉSTICOS

A cozinha deve sempre receber uma atenção redobrada. Para proteger as crianças, é preciso retirá-las do ambiente, toda vez que o fogão estiver ligado. Materiais inflamáveis devem ficar em armários altos e trancados. Opte sempre por toalhas de mesa curtas, para evitar que sejam puxadas.

Evite fazer manutenções em instalações elétricas, sem o auxílio de um profissional. Na hora de utilizar churrasqueiras, troque o álcool por acendedor de carvão. Nunca considere uma queimadura, um acidente sem importância. Toda ocorrência, por mais simples que seja, deve receber a devida atenção.

Volta às aulas: como manter o sistema imunológico forte no período

Os primeiros dias de retorno escolar são uma mistura da euforia das crianças para rever os amigos e preocupação dos pais com as possíveis doenças do início do ano letivo. O contágio nas escolas acontece mais facilmente no período de volta às aulas devido à maior exposição aos micro-organismos.

Para fortalecer o sistema imunológico é fundamental se alimentar bem e garantir uma dieta rica em nutrientes e vitaminas. De acordo com Delmir Rodrigues, endocrinologista e nutrologista pediátrico e do adolescente do Hospital Anchieta, manter o corpo hidratado e fazer visitas periódicas ao médico para acompanhar a saúde são medidas que ajudam a prevenir doenças no início do ano letivo.

Por que é comum o surgimento de doença na volta às aulas?

Com o retorno das atividades escolares, o contato com outras crianças propicia a exposição a microrganismos (bactérias e vírus) que são responsáveis pelo contágio nas escolas. Segundo o endocrinologista, é comum no período de férias as crianças e adolescentes terem uma rotina diferente a do período escola, o que pode resultar em alterações no sistema imunológico no início do ano letivo. Por isso, é importante que, uma semana antes da volta às aulas, haja um processo de readaptação em relação quanto aos horários e ajustar o período de sono.

Como prevenir o contágio na escola?

Nas escolas, é fundamental que haja o estímulo e a orientação para higienização correta das mãos, bem como propiciar ambientes adequados, com boa iluminação e arejado.

A seguir, algumas dicas do especialista:

– Lavar as mãos antes e após usar o banheiro;

– Lavar as mãos antes e depois das refeições;

– Higienizar as mãos com álcool em gel, sempre que necessário;

– Ao tossir ou espirrar, tentar cobrir a boca ou nariz com o antebraço para evitar disseminar partículas no ar;

– Evitar roer as unhas e levar as mãos à boca.

E os pais?

De acordo com Rodrigues, os pais devem tentar manter uma alimentação balanceada e adequada a idade, rica em todos os nutrientes, priorizando a hidratação. ”É importante consultar um pediatra antecipadamente, para avaliação da saúde da criança, bem como o dentista. Atentar para a atualização do cartão de vacinas e, caso o filho esteja doente, comunicar a escola e postergar o retorno do mesmo, evitando a exposição com quem divide o mesmo ambiente”, completa.

Alimentação e sistema imunológico

Não há alimentos específicos para melhora da imunidade. Recomenda-se uma dieta balanceada, com muitas frutas e saladas e priorizar a hidratação. Evitar alimentos industrializados em excesso.

Dicas para pais de primeira viagem

O desenvolvimento da imunidade do ser humano se completa no final da primeira da infância. O contato muito precoce com ambientes e aglomerações pode propiciar uma incidência maior de doenças. “Atentar para sinais de gravidade como tosse produtiva, febre de difícil controle e vômitos e diarreia, com risco de desidratação. Sempre que necessário procurar atendimento com pediatra”, ressalta o endocrinologista do Hospital Anchieta.

Muito se propagou na última década a “Teoria da Higiene“, onde acreditava-se que quanto menos exposta a um ambiente com micro-organismos em excesso, a criança ficaria menos doente. Hoje é de conhecimento público que essa exposição é benéfica, desde que não seja em excesso, pois propicia um desenvolvimento adequado da imunidade, evitando doenças graves.

Dia Mundial de Combate ao Câncer: quais hábitos podem ajudar na prevenção da doença?

Com o objetivo de conscientizar e educar a população sobre a importância da prevenção do câncer, a União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), marcou 4 de fevereiro como o Dia Mundial de Combate ao Câncer. A data tem como propósito alertar que hábitos preventivos na rotina das pessoas podem evitar milhões de mortes todos os anos.

 

O Dia Mundial de Combate ao Câncer

Além da prevenção da doença, o Dia Mundial de Combate ao Câncer tem como meta informar que esse é um dos problemas de saúde mais incidentes no mundo. De acordo com dados a UICC e do Globocan 2018, são 18,1 milhões de novos casos e 9,6 milhões de mortes por ano.

Ainda segundo informações da UICC, o câncer é a segunda maior causa de morte no mundo, sendo a causa de 70% de todas as mortes por câncer ocorrem em países de baixa e média renda. A instituição ressalta também que 27% de todos os casos são associados com tabagismo e álcool, enquanto casos atribuídos a mutações genéticas hereditárias giram entre 5% e 10%.

 

O câncer no Brasil

No Brasil, são estimados para 2019, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 600 mil novos casos da doença. Entre os cânceres com maior incidência entre os homens estão os de próstata, de traqueia, de brônquio e de pulmão, seguido de cólon e reto. Já entre as mulheres, os mais frequentes são os de mama, de cólon e reto e de colo do útero.

A tendência global ainda é de crescimento no número de casos de câncer, o que aumenta a importância de iniciativas como essas. De acordo com a OMS, uma a cada seis pessoas morrem no mundo em razão da doença e cerca de 18 milhões desenvolvem o câncer a cada ano, a maioria em países de baixa e média renda. A expectativa é que o número chegue a 21 milhões de pessoas, em 2030.

 

Prevenção do câncer

A UICC calcula que cerca de 3,7 milhões de vidas poderiam ser salvas anualmente com a implementação de medidas de prevenção, diagnóstico e tratamento. O órgão afirma que, se houvesse um investimento maior em estratégias na prevenção do câncer, seria possível economizar 100 bilhões de dólares usados em tratamento de câncer.

“É importante destacar o impacto da educação e a prevenção junto a todos os tipos de cânceres, pois já está comprovada a redução de pelo menos 30% da incidência e mortalidade quando as ações são efetivas no sentido de prevenir ”, destaca Ricardo Antunes coordenador da área de Cirurgia Oncológica do Grupo Leforte e presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC).

Segundo o especialista, hábitos como alimentação saudável e a prática de atividades físicas, como caminhar, já são um bom começo, pois contribuem para evitar um fator de risco importante para o câncer: a obesidade.  Aliado a estas práticas, é preciso dar atenção aos exames preventivos de acordo com a faixa etária ou identificação de alguma alteração na saúde ou no corpo, como um pequeno nódulo.

Conheça os benefícios da reflexologia nos pés

Por meio de uma técnica suave e eficaz de massagem terapêutica, a reflexologia conquistou um lugar de destaque na medicina complementar. Atuando na prevenção e tratamento de doenças e disfunções do organismo a reflexologia ainda pode aumentar o relaxamento e melhorar o sono. Mas você sabe o que é reflexologia e quais são seus benefícios?

 

O QUE É REFLEXOLOGIA

A reflexologia é uma técnica de massagem que utiliza a pressão em pontos específicos dos pés, mãos e orelhas que correspondem a órgãos e outras regiões do organismo. Os profissionais costumam utilizar gráficos para orientar a região específica de correspondência.

Indicada para todas as pessoas, a técnica da reflexologia não deve ser confundida com uma massagem básica, pois tem a função de procurar desequilíbrios de energia que se manifestam por sensibilidade no ponto. De forma simples, natural e não-invasiva a reflexologia visa estimular forças de cura do corpo, proporcionando bem-estar emocional e físico.

 

PONTOS DE REFLEXOLOGIA

A técnica é dividida em três pontos que correspondem à região onde a massagem será feita. Cada ponto funciona como um mapa do corpo. São elas:

  • Reflexologia podal: visa estimular pontos específicos das plantas dos pés, que pode proporcionar alívio de dores, relaxamento e melhora na circulação sanguínea.
  • Reflexologia quirodal (das mãos): ligada diretamente com os pontos das mãos, a reflexologia quirodal promove o relaxamento físico e mental.
  • Reflexologia facial: relaxa e tonifica os músculos da face; pode ou não incluir as orelhas e contribui para o bom funcionamento de órgãos e articulações.

A mais conhecida é a reflexologia podal, por apresentar amplitude de pontos de pressão. São indicadas, pelo menos, 10 sessões para atingir os benefícios, apesar de ser possível sentir seu efeito positivo no organismo, ainda nas primeiras sessões.

 

REFLEXOLOGIA NA MEDICINA INTEGRATIVA

A medicina integrativa tem como intuito colocar o paciente como ator principal dos seus cuidados, buscando diversos profissionais e métodos para compor seu tratamento. Associada à medicina tradicional, a medicina integrativa permite a interdisciplinaridade, com práticas meditativas e de reflexologia, por exemplo.

É importante que a reflexologia não substitua nenhum tratamento e sim auxilie no cuidado. Integrada à medicina tradicional, a técnica pode diminuir dores corporais, eliminar inflamações, controlar problemas gastrointestinais, melhorar estresse, ansiedade e até a depressão.

Apesar de ser indicada para todas as pessoas, independente do sexo e da idade, a reflexologia não deve ser indicada por pessoas que utilizam marca-passo, pois alguns pontos estimulados podem acelerar os batimentos cardíacos e apresentar complicações ao paciente.

A reflexologia não cura, apenas equilibra os sistemas corporais para que eles possam exercer essa função, estimula uma área pouco ativa e relaxa uma área hiperativa, sendo assim inofensiva para áreas do corpo que estão funcionando corretamente. Diversos estudos apontam a efetividade dessa técnica que vem ganhando cada vez mais espaço na medicina complementar.

Conheça as 10 principais ameaças à saúde em 2019

Na última semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou uma lista com as 10 principais ameaças à saúde em 2019, ano em que a entidade publicará o novo plano estratégico para ampliar o acesso à saúde de qualidade em todo o mundo. Na relação, estão presentes doenças que são preveníveis por vacinação, altas taxas de obesidade infantil e sedentarismo, bem como os impactos à saúde causados pela poluição do ar, pelas mudanças climáticas e pelas crises humanitárias.

De acordo com OMS, as ameaças à saúde que vão demandar mais atenção da organização e de seus parceiros neste ano são:

Poluição do ar e mudanças climáticas

Segundo a OMS, nove em cada 10 pessoas respiram ar poluído todos os dias. Os poluentes microscópicos acabam penetrando nos sistemas respiratório e circulatório, causando sérios problemas para os pulmões, coração e cérebro. A consequência disso é a morte prematura de 7 milhões de pessoas por doenças como câncer, acidente vascular cerebral e doenças cardiovasculares e pulmonares.

Doenças crônicas não contagiosas

De acordo com dados da entidade, doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares, causam 70% de todas as mortes no mundo, ou seja, o proporcional a 41 milhões de pessoas. Problemas como má alimentação, tabagismo e sedentarismo também contribuem para o aumento de casos de doenças crônicas.

Pandemia de influenza

O comunicado da OMS contém a seguinte frase: “O mundo vai enfrentar outra pandemia do vírus influenza. Só não sabemos quando ou quão severa ela será”. O que ainda não é certo é quando chegará e a dimensão da gravidade. A OMS monitora constantemente a circulação dos vírus, avaliando os casos existentes e, a partir daí, recomenda adaptações anuais na vacina contra a gripe.

Cenários de fragilidade e vulnerabilidade

Mais de 1,6 bilhão de pessoas vivem em locais com pouquíssima infraestrutura, de acordo com dados da entidade. Do ponto de vista humanitário, esse é um grande drama mundial. Nesse contexto, praticamente 50% das metas de desenvolvimento sustentável, considerando saúde infantil e materna, permanecem sem ser cumpridas.

Resistência antimicrobiana

A OMS informa que o uso excessivo de antibióticos, tanto em seres humanos como em animais de corte acaba ocasionando o surgimento de superbactérias que não são vencidas com tratamentos convencionais. Essa resistência ameaça a humanidade a voltar a uma época em que era possível tratar facilmente infecções como pneumonia, tuberculose, gonorreia e salmonelose.

Ebola

A República Democrática do Congo passou por dois surtos de ebola em 2018. O problema se espalhou e atingiu cidades com mais de 1 milhão de pessoas. Em dezembro do mesmo ano, representantes da saúde pública, saúde animal, transporte e turismo solicitaram à OMS que considere 2019 o “ano de ação sobre a preparação para emergências de saúde”.

Atenção primária

Muitos países não possuem instalações de atenção primária de saúde adequadas. Um atendimento eficaz é capaz de afastar e reduzir o risco de uma série de doenças, além de identificar outras.. No entanto, a OMS declara que muitos países dão pouca atenção para essas consultas mais preventivas e trata esse fato como prioridade para melhorias.

Vacinação

Evitar se vacinar por medo ou relutância é algo que ameaça reverter o progresso feito no combate a doenças que seriam evitáveis por imunização. Há a situação do sarampo, por exemplo, que teve aumento de 30% nos casos em todo o mundo. “[A vacina] é uma das formas mais custo-efetivas para evitar doenças – atualmente, previnem-se cerca de 2 milhões a 3 milhões de mortes por ano”, informa a OMS.

Dengue

A OMS tem como objetivo reduzir pela metade as mortes por dengue até 2020 . A grande barreira é ausência de trabalho comunitário árduo. A entidade acredita que a doença vai continuar provocando grandes prejuízos.  A estimativa é que 40% de todo o mundo esteja em risco de contrair o vírus – cerca de 390 milhões de infecções por ano.

HIV

A entidade alerta que a epidemia de Aids segue se espalhando pelo mundo. Aproximadamente 1 milhão de pessoas morrem por HIV/aids a cada ano. Atualmente, cerca de 37 milhões vivem com HIV no mundo. Um grupo cada vez mais afetado são as adolescentes e as mulheres jovens (entre 15 e 24 anos), que representam uma em cada quatro infecções por HIV na África Subsaariana.

O que é Diabetes e como é feito o tratamento

Pacientes portadores da síndrome metabólica possuem um pouco de dificuldade em explicar para outras pessoas o que é diabetes. Assim como diversos tipos de doenças, existem vários tipos de diabetes e diferentes formas de tratá-la.

De forma fácil e intuitiva, você vai conferir quais são os tipos de diabetes existentes, bem como os tratamentos mais adequados para cada um deles.

O que é diabetes?

Ele vem da falta de insulina no organismo, bem como a incapacidade de exercer sua função corretamente, aumentando a taxa de glicose (açúcar) no sangue.

A insulina é produzida pelo pâncreas, porém, quando o órgão não consegue fornecer a quantidade necessária, as células não são capazes de absorver o açúcar presente no sangue. Outro fator que acarreta ao problema está na forma incorreta do hormônio agir na corrente sanguínea, que também pode ser visto como uma resistência do pâncreas à insulina.

Quais os tipos de diabetes e sintomas?

vários tipos de diabetes, porém, há quatro principais: diabetes tipo 1, pré-diabetes, diabetes tipo 2 e diabetes gestacional. Assim como os sintomas, o tratamento para diabetes difere para cada tipo.

Diabetes tipo 1

O tipo 1 atinge de 5 a 10% dos pacientes portadores da síndrome. Ele acontece quando o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina por causa de um problema imunológico. Os anticorpos veem aquilo como um organismo de ameaça, atacando os hormônios necessários para que a glicemia penetre nas células.

Dentre os sintomas estão:

Diabetes Tipo 2

Ao contrário da Diabetes tipo 1, o tipo 2 atinge 90% da população portadora da síndrome. Sua causa está ligada à diminuição e resistência de insulina. Outro fator importante está relacionado a possibilidade de agravamento do problema.

Pessoas com diabetes tipo 2 podem não apresentar sintomas por anos, porém, é possível que a resistência à insulina cause fome excessiva, sede, infecções de bexiga, rins e pele, embaçamento da visão, formigamento nos pés e problemas com a cicatrização de feridas.

Pré-diabetes

O pré-diabetes é um meio termo entre a síndrome tipo 2 e o saudável. Neste caso, não significa necessariamente que a pessoa tenha  diabetes.

Geralmente, os pacientes portadores do pré-diabetes não apresentam sintomas característicos. Porém, no caso de aumento de peso e quadro de diabetes na família, é importante procurar um médico para medir os níveis de glicose no sangue.

Diabetes Gestacional

Durante a gravidez, existe um aumento da resistência à insulina que pode ou não, persistir após o parto.

Nem sempre a síndrome apresenta sintomas, porém, o aumento da glicemia na gravidez pode fazer a mulher sentir:

  • Sede excessiva;
  • Fome excessiva;
  • Vontade constante de urinar;
  • Visão turva.

De acordo com a Claudia Liboni, endocrinologista do Hospital Santa Paula, membro da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), há também o diabetes tipo 3, que é pouco comum. “Ele está relacionado à falta de insulina, mas apenas no cérebro. A situação de resistência estaria implicada na degeneração dos neurônios”, comenta.

Como tratar diabetes?

Agora você sabe o que é diabetes e que há diferentes tipos da síndrome que afetam outros grupos. Porém, é importante ressaltar que o tratamento para diabetes também muda, podendo ser à base de aplicações de insulina ou medicamento via oral.

 

Confira a seguir o mais indicado, segundo a especialista:

Diabetes tipo 1

Os portadores de diabetes tipo 1 precisam de uma aplicação diária de insulina no tecido subcutâneo. Ela serve para que a glicose no sangue seja mantida em valores normais.

A insulina é geralmente aplicada em regiões específicas do corpo, como abdômen, coxa, braço, região da cintura, e glúteo.

Além do tratamento via insulina, os médicos também podem complementar com remédios via oral.

Diabetes Tipo 2

O diabetes tipo 2 geralmente vem acompanhado de problemas como sobrepeso, obrigando o paciente a cuidar não só dos níveis de açúcar no sangue, mas também da qualidade de vida como um todo.

Ele geralmente é tratado com medicamentos via oral como inibidores que impedem a digestão de carboidratos no intestino ou remédios que estimulam a produção de insulina pelo pâncreas.

Pré-diabetes

O pré-diabetes, na verdade, é uma junção de práticas diárias que servem para evitar que o problema evolua para um quadro pior. Entre elas estão o corte do cigarro e cuidados com a saúde bucal. Em alguns casos, o médico, juntamente com o paciente, podem decidir dar início a um processo envolvendo medicamentos para prevenir a evolução para o diabetes.

Diabetes Gestacional

O tratamento para diabetes Gestacional tende a medir os níveis de açúcar para averiguar como eles estão afetando a criança.

Além de exercícios físicos, alguns médicos podem indicar injeções de insulina para manter os níveis de açúcar no sangue baixo. Há também a possibilidade de um tratamento oral ser feito.

 

Entenda como o sobrepeso pode afetar a saúde do coração até mesmo dos jovens

O fácil acesso a produtos com alto teor de elementos nocivos somado ao sedentarismo, tem levado vários jovens a um problema que antes era uma preocupação comum apenas da população mais velha: o aumento da pressão arterial (hipertensão) e problemas ligados à saúde do coração.

Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), mostram que a porcentagem de crianças e adolescentes hipertensos dobrou nos últimos vinte anos, enquanto que a obesidade é uma das doenças que mais cresce em nível global.

SOBREPESO EM JOVENS SAUDÁVEIS  

Um estudo da Universidade de Bristol publicado em julho de 2018, apontou que jovens saudáveis, mas que tinham um Índice de Massa Corporal (IMC) mais alto, apresentavam pressão arterial elevada e também problemas prejudiciais à saúde do coração.

A publicação destaca que jovens com IMC um pouco mais elevado, considerado “sobrepeso”, apesar de saudáveis, não estão imunes a doenças cardiovasculares. Por isso, a ideia de se ter um IMC ideal desde cedo, deve ser reforçada, para evitar doenças cardíacas posteriores.

Em agosto do mesmo ano, o Ministério da Saúde abriu uma enquete pública para elaborar o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para tratamento de casos de obesidade e sobrepeso. O documento, que recebeu contribuições da sociedade civil, tem como objetivo aprimorar o atendimento aos pacientes nessas condições no Sistema Único de Saúde (SUS), além de contribuir para a prevenção e controle da obesidade e sobrepeso no país.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que a obesidade é uma das doenças que mais cresce no mundo. Apenas no Brasil, uma em cada cinco pessoas são obesas e mais da metade da população das capitais estão acima do peso.

MUDANÇAS NO ESTILO DE VIDA

Nunca é cedo para cuidar da saúde do coração. Com mudanças simples de hábitos é possível prevenir graves doenças posteriores.

 

  • Beba bastante líquido: sucos, chás e principalmente água ajudam na circulação no sangue, além de irrigar o organismo.
  • Pratique exercícios: uma rotina simples de exercícios já traz grandes benefícios ao corpo, além de ajudar diminuir o peso, impacta diretamente no bem-estar durante o dia.
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro: o consumo de álcool favorece a desidratação, além de fazer com que organismo retenha mais líquidos e aumente a pressão nas veias e artérias. Já a nicotina diminui a espessura dos vasos sanguíneos, trazendo sérias complicações.
  • Consuma fibras: frutas e fibras auxiliam no bom funcionamento do intestino, controlam o peso e diminuem a pressão sobre as veias.

 

Manter um peso saudável em qualquer fase da vida é de extrema importância para afastar doenças futuras, mesmo saudável devemos consultar um médico periodicamente para exames preventivos.