Tratamento

Conheça a crioterapia, que reduz queda de cabelo durante tratamento de câncer

13 de dezembro, 2021

Um dos efeitos colaterais mais conhecidos da quimioterapia é a intensa queda de cabelo, que pode trazer desconforto físico e emocional para quem passa por tratamento contra o câncer. Mas uma tecnologia que já é adotada em hospitais brasileiros pode evitar esse efeito e contribuir para o bem-estar dos pacientes: a crioterapia capilar.

“A queda de cabelo traz uma sensibilidade para os pacientes, às vezes, até deitar-se no travesseiro incomoda. Sem proteção, eles podem ter queimadura de sol no local. Para as mulheres, é uma situação ainda mais delicada. A ausência do cabelo chama a atenção e pode mexer com a autoestima, o que interfere no tratamento”, explica Bruna Zucchetti, oncologista especializada em mamas do Hospital Nove de Julho (SP).

Os quimioterápicos para o combate do câncer de mama estão entre os que mais causam a alopecia, nome técnico para a queda de pelos e cabelo. Por isso, essas pacientes estão ente as que mais demandam o uso da touca de crioterapia.

O equipamento dispõe de uma alta tecnologia de resfriamento do couro cabeludo e precisa ser usada 30 minutos antes, durante e até 90 minutos depois das sessões de quimioterapia. A temperatura varia entre 9°C e 17°C e diminui o fluxo sanguíneo no local. Desta forma, reduz a quantidade de quimioterápico absorvido pelas células do couro cabeludo e evita a queda de cabelo.

“O uso da touca impacta em diversos aspectos, como o convívio social e a manutenção da rotina diária. Certamente, é um avanço significativo ter essa tecnologia à disposição”, afirma Nicole Golin, diretora técnica do Hospital Tacchini (RS), que também oferece a crioterapia. Segundo a instituição, a taxa de sucesso varia entre 60% e 100%, de acordo com a intensidade do tratamento.

Apesar de não ter efeitos colaterais conhecidos, a crioterapia capilar não é indicada em casos de cânceres que afetem a corrente sanguínea, como leucemias e linfomas, pois a touca causa a contração dos vasos sanguíneos e poderia diminuir a efetividade do tratamento.

O paciente precisa ter alguns cuidados em casa para que a crioterapia seja mais eficaz. O ideal é ficar de quatro a cinco dias sem lavar os cabelos – pode ser usado xampu a seco – e evitar escová-los demais. Não é permitido fazer qualquer tipo de química nos cabelos e também não é recomendado o uso de secador ou chapinha.