Prevenção

Por dia, 37 crianças são vítimas de intoxicação ou envenenamento


Levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) alerta para o alto número de crianças e adolescentes vítimas de intoxicação por exposição inadequada a medicamentos. Por dia, são 37 registros dessa situação no Brasil. No período entre 1999 e 2016 foram notificados mais de 245 mil casos de intoxicação na faixa etária de 0 a 19 anos. Destes, 240 levaram à morte devido ao envenenamento por ingestão de medicamentos.

O estudo, que utilizou dados do Sistema Nacional de Informações Toxico-Farmacológicas (Sinitox), revela também que o risco de intoxicação é maior em crianças entre 1 a 4 anos. No período analisado foram registrados mais de 130 mil casos de crianças intoxicadas nesta faixa etária. Já os estados com maior ocorrência de intoxicação são o Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e São Paulo. Neste último, foram mais de 88 mil casos de crianças intoxicadas durante essas quase duas décadas.

Além disso, dados da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados) revelam que mais de 86 mil ocorrências de todos os casos de internação registrados nos hospitais privados em 2017 possuem relação com algum tipo de lesão ou envenenamento.

Outros tipos de intoxicação

A própria casa pode trazer diversos riscos de intoxicação para as crianças, especialmente, de até 4 anos. Além do envenenamento por ingestão de medicamentos, os produtos de higiene pessoal e de limpeza, assim como inseticidas, e até mesmo plantas, podem também causar intoxicação.

Não é sempre que os sintomas de envenenamento são imediatos, por isso é necessário ficar atento. Os principais sintomas são: diarreia, vômito, dor, respiração difícil, confusão mental, paralisia, convulsão, mudança na cor dos lábios e sensação de queimação na boca, estômago ou garganta.

Em caso de suspeita de intoxicação, leve a criança imediatamente a uma unidade de saúde com a embalagem do produto que pode ter causado o envenenamento.

Como melhorar este quadro

Levando em conta o fato do grupo de maior risco ser o de crianças de 1 a 4 anos, alguns hábitos podem ajudar a diminuir o número de casos de intoxicação, seja por ingestão de medicamentos ou de qualquer outro dos produtos já citados.

Em primeiro lugar, prestar atenção aos locais de armazenamento dos medicamentos e demais produtos perigosos, já que é comum as crianças colocarem qualquer objeto que encontram na boca. Além disso, alguns desses produtos possuem coloração atrativa e chamam a atenção dos pequenos.

Os responsáveis por casas onde vivem crianças precisam manter toda a medicação, produtos de limpeza e outros agentes tóxicos fora do alcance, em prateleiras altas ou em gavetas com chave. Outro ponto importante a se destacar é a automedicação. Os pais e responsáveis não devem medicá-las sem orientação médica, ou seguindo o conselho de amigos, pois cada criança pode reagir de uma forma diferente aos remédios. Além disso, doses incorretas também podem causar intoxicação.