Medicina

Por que sentimos mais as dores da fibromialgia no inverno?

Com a chegada das temperaturas mais baixas é muito comum que portadores de fibromialgia sintam a piora dos sintomas da síndrome, em especial a piora das dores em articulações. Essas dores recorrentes causadas pela síndrome costumam se intensificar com mudanças climáticas como chuva, aumento ou diminuição excessiva da umidade e frio.

Dentre essas mudanças, certamente a que mais incomoda o portador da fibromialgia é o frio, exatamente por isso a fibromialgia no inverno deve ser tratada com mais atenção. Para entender melhor a síndrome e o por quê das dores se intensificam no inverno acompanhe nosso artigo exclusivo.

O que é a fibromialgia?

A fibromialgia é uma síndrome caracterizada pelo surgimento de fortes dores em diversas regiões do corpo. Essas dores costumam ser intensas e insistentes: podem durar diversas semanas. Os tecidos moles são os que mais sofrem com a síndrome e apresentam sensibilidade nas articulações, tendões e músculos.

A incidência da fibromialgia é mais alta em mulheres, sendo que cerca de 80% dos casos diagnosticados são em pacientes do sexo feminino. A razão para isso ainda é desconhecida, mas descarta-se que tenha relação direta com hormônios uma vez que a fibromialgia afeta mulheres em idades diversas, na pré e pós menopausa.

Sintomas da fibromialgia

Embora a fibromialgia seja popularmente conhecida pela dor generalizada que acomete os pacientes, existem diversos outros sintomas que juntos indicam um quadro de fibromialgia. Os sintomas mais comuns da síndrome são:

 

  • Dor generalizada:  A dor generalizada causada pela fibromialgia é o sintoma mais conhecido. De acordo com os pacientes, a dor ocorre em diversas partes do corpo e pode demorar até três meses para melhorar.

 

 

  • Cognição prejudicada: Outro sintoma que os portadores da síndrome podem sentir é maior dificuldade de se manter concentrado e focado em atividades como leituras, jogos de estratégia, entre outras atividades que requerem esforço mental.

 

 

  • Dormência: Portadores de fibromialgia costumeiramente apresentam também dormência em regiões como pés e mãos.

 

 

  • Fadiga: Também é comum que os pacientes se queixem de cansaço excessivo, inclusive após acordar. Grande parte da fadiga se deve a má qualidade do sono do paciente uma vez que a dor pode interromper o descanso.

 

 

  • Dificuldades relativas ao sono: Dentre as dificuldades em relação ao sono do portador da fibromialgia é comum o relato de apnéia do sono, insônia e síndrome das pernas inquietas.

 

Por que as dores da fibromialgia no inverno são mais intensas?

Uma das principais queixas dos pacientes é a piora da fibromialgia no inverno. Essa piora acontece por uma série de fatores. O fator que mais auxilia no aumento das dores é a contração natural do corpo perante as baixas temperaturas.

Com essa contração excessiva, os músculos e articulações acabam se sobrecarregando o que faz com que as dores sejam ainda mais fortes. Outro fator que também faz com que as dores piorem é a baixa oxigenação das regiões devido a contração muscular causada pela sensação de frio. Sem o oxigênio a produção de ácido lático aumenta e consequentemente as dores.

O que fazer para prevenir a piora dos sintomas da fibromialgia no inverno?

Para prevenir as dores é importante se manter fiel às medicações prescritas pelo médico. O tratamento adequado ajuda no controle das dores e auxilia também na melhora de outros sintomas.

A prática de exercícios físicos de baixo impacto auxiliam na oxigenação do corpo, o que também pode amenizar as dores.

Por fim, é importante evitar locais frios, se mantendo em ambientes que possuam uma temperatura confortável, em que o corpo não precisará se esforçar para manter sua temperatura nos naturais 36,5°C.