Medicina

Meningite: o que é e como se pega

Hoje, 24 de abril é o Dia Mundial de Combate à Meningite, uma doença que pode deixar sequelas e levar à morte se não diagnosticada precocemente e tratada de forma adequada. A data foi criada para ressaltar a importância da prevenção da doença, que pode atingir crianças, jovens, adultos e idosos. A meningite consiste na inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Os sintomas da meningite podem ser facilmente confundidos com de qualquer infecção, já que incluem febre, dor de cabeça e vômitos.

Entre as causas infecciosas, a meningite pode ser provocada por bactérias, vírus, parasitas e fungos. A meningite bacteriana requer diagnóstico e tratamento imediatos, em razão do potencial de sequelas e da alta letalidade. Em crianças, a atenção deve ser redobrada, já que os pequenos nem sempre conseguem exprimir ou explicar o que sentem. “Os pais precisam ficar atentos à febre de difícil controle e que não abaixa com medicamento, além de dor de cabeça persistente e vômitos. Diante de um quadro com essas características, é importante procurar o pronto-socorro para uma investigação”, explica Dr. Victor Horácio, médico infectologista pediatra do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, Paraná.

Contágio e fatores de risco

Joice de Oliveira, que é mãe do pequeno Gustavo, de três anos, notou que o filho estava com sintomas suspeitos de meningite, como vômitos e dor de cabeça, e levou-o até a emergência do Hospital Pequeno Príncipe. “Inicialmente, ele não estava com febre, mas com dor de cabeça persistente. Os médicos realizaram diversos exames, incluindo a pulsão lombar que apontou meningite viral. O Gustavo ficou internado oito dias para tratamento. Hoje, ele está ótimo e segue em acompanhamento médico”, conta Joice.

O médico infectologista destaca que a meningite por contato com bactéria e vírus é feita por via respiratória, ou seja, pelo ar. Crianças com baixa imunidade por conta de desmame precoce, desnutrição, falta de vacinas e presença por longos períodos em ambientes fechados são mais suscetíveis à meningite. O tratamento inclui antibióticos por via venosa, em regime de internação hospitalar. “É muito importante o diagnóstico precoce. Se houver demora, a meningite pode causar paralisia cerebral, surdez, distúrbios da fala e locomoção e levar ao óbito”, destaca Dr. Victor Horácio.