Medicina

‘Não sabia que estava grávida’: entenda como ocorre a gravidez silenciosa

19 de julho, 2022

É raro, mas acontece: muitas pessoas gestantes chegam ao pronto-socorro em trabalho de parto e só descobrem, naquele momento, a gravidez. Ao contrário do que se pensa, a chamada “gravidez silenciosa” é possível, sim, e nós fomos entender o porquê.

“Um erro comum é a pessoa acreditar que só mulheres muito jovens, na primeira gestação, podem passar por isso, o que não é verdade”, explica o Dr. Mário Macoto Kondo, obstetra do Hospital e Maternidade Pro Matre Paulista. “Eu tenho uma paciente que fez todo o pré-natal comigo, o parto, tudo certinho. Meses depois, ela voltou ao pronto-socorro porque não estava se sentindo bem quando, na verdade, ela já estava no sétimo mês de uma gestação”, conta.

Mas como isso acontece?

Ciclos menstruais irregulares

São muitas as pessoas que têm ciclos irregulares, por motivos como estresse, rotina atribulada ou funcionamento do próprio organismo. Então o fato de não menstruar acaba não ligando um alerta de que há algo diferente.

Sangramentos

Às vezes, no início da gestação, podem ocorrer sangramentos. Esses, por sua vez, são confundidos com a menstruação e a gravidez acaba não sendo notada pela paciente.

Estrutura corporal

Pessoas acima do peso e obesas podem não perceber o crescimento da barriga. Já pessoas muito musculosas ou que passaram por abdominoplastia também podem não aparentar mudanças na região abdominal.

Não perceber os movimentos do feto

“A movimentação fetal perceptível, no geral, ocorre depois de 20 semanas – ou seja, já na metade da gravidez. Se a pessoa nunca esteve grávida e, principalmente, se sequer está pensando nisso, pode não se dar conta”, afirma o Dr. Macoto.

Após o parto

Segundo o especialista, é importante que a equipe médica tenha uma atenção extra em situações como essa. “Se for uma surpresa agradável, ótimo. Se não, é extremamente importante o apoio, o suporte emocional à pessoa que acabou de dar à luz. Tem que existir um tempo para que a pessoa possa entender, processar tudo o que aconteceu, e ser acolhida”.

Em relação aos cuidados com o recém-nascido, o Dr Macoto tranquiliza as possíveis gestantes. “Hoje, o atendimento obstétrico tem uma rotina de cuidado infeccioso, que tem importância direta para o bebê”, explica, além da avaliação completa da criança. “Para a pessoa parturiente, também é indicada a realização de exames ligados à parte infecciosa e acompanhamento psicológico.”