Medicina

O que é Transtorno de Estresse Pós-Traumático?

Passar por situações que não são exatamente como queríamos, é algo que acontece com todos. Mas quando situações passam de desagradáveis para trágicas, os traumas psicológicos e emocionais podem resultar em um Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).

É claro que uma situação que traumatiza alguém a ponto de causar complicações psicológicas, não necessariamente causará os mesmos efeitos em outras pessoas. Mas, algumas vivências têm maiores chances de causar um impacto negativo na saúde mental, como situações de violência (aqui, entram momentos que vão desde um assalto, até guerras) e situações de abuso físico ou psicológico.

Sintomas do Transtorno de Estresse Pós-Traumático

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático está no extenso guarda-chuva de manifestações da ansiedade e pode acontecer em qualquer idade. Seja por situações de violência urbana vividas por adultos ou situações de abuso físico e sexual experienciadas por crianças, o TEPT causa sintomas que são divididos em três grupos:

  • Revivência do trauma: refere-se aos quadros que incluem flashbacks, pensamentos intrusivos e pesadelos sobre o momento em que os traumas psicológicos aconteceram;
  • Esquiva: neste grupo estão os portadores de TEPT que veem seus traumas emocionais interferirem de forma mais direta em sua vida social, pois trata-se do isolamento buscado por alguns pacientes a fim de evitar situações que desencadeiam ou engatilham lembranças da situação traumática;
  • Hiperexcitabilidade psíquica e psicomotora: grupo que sente de forma física o TEPT, através de sintomas como taquicardia, sudorese, insônia, distúrbios de concentração e intenso estado de alerta.

Tratamentos

Não são apenas situações individuais que causam as complicações psicológicas, inclusive, nem sempre somos os personagens principais da razão do nosso trauma. Ao presenciar momentos de ameaça à vida e ao psicológico de pessoas queridas, por exemplo, o TEPT também pode se desenvolver. Testemunhar violências muito fortes com outras pessoas, não necessariamente próximas a você afetivamente, também pode desencadear o problema.

Essa é uma das maiores preocupações em casos de tragédias. Acontecimentos como os rompimentos de barragens nas cidades de Mariana e Brumadinho, no estado de Minas Gerais, chamaram a atenção da sociedade para a necessidade de abordagens científicas para amenizar os traumas emocionais e psicológicos causados nos sobreviventes.

O essencial em casos de situações que marcam tão negativamente a vida de alguém, é buscar a psicoterapia. Não é em todos os casos que os próprios pacientes levam os indicativos a sério, por serem de ordem psicológica e emocional. Mas quanto antes o quadro for diagnosticado, melhor será para manter a saúde mental em dia.

Só terapia funciona?

Em alguns casos, sim. Em outros, não. Assim como a origem de traumas psicológicos é algo relativo e com uma série de variáveis de acordo com a personalidade de cada pessoa, a resposta a tratamentos também.

Por isso, combater o Transtorno de Estresse Pós-Traumático com a ajuda de medicamentos pode ser necessário. Neste caso, costuma-se usar antidepressivos e ansiolíticos, mas sempre combinados com a psicoterapia.

É de extrema importância que as pessoas em dificuldade mental façam um bom acompanhamento psicológico, pois a TEPT não é a única doença que pode surgir através de traumas emocionais. A depressão e o próprio transtorno de ansiedade generalizada também podem indicar reflexos de situações que deixaram lembranças incômodas.

Se você está sentindo alguns desses sintomas, não deixe de procurar um médico. Caso já tenha passado por situações traumáticas na vida, busque ajuda, pois elas podem interferir na sua vida mesmo anos depois do acontecido.