Prevenção

Saúde infantil – 7 motivos para você vacinar seus filhos

Manter o calendário de vacinação em dia pode ser um desafio para alguns pais. O ato de vacinar seus filhos é algo a ser feito a fim de evitar doenças graves, como a poliomielite, catapora e pneumonia. Doenças essas que, se atingirem as crianças pequenas, podem levá-las a óbito.

 

As vacinas que seguem o calendário do Programa Nacional de Imunizações, são geralmente indicadas pelo Ministério da Saúde e, consequentemente, dadas gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Há vacinas disponíveis apenas na rede privada. Para este público, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), também possuem um calendário de vacinação.

 

Embora possam existir efeitos colaterais de vacina, é importante imunizar os filhos mais novos. Por isso, separamos 7 motivos para você prevenir seus filhos com a vacinação.

1 – Seus filhos ficarão seguros das doenças graves

 

Vacinar os filhos, segundo o Ministério da Saúde, é a melhor opção na prevenção de doenças graves. Cerca de 2 a 3 milhões de mortes anuais são evitadas e erradicadas pela vacina, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

2 – Vacinas seguras e efetivas

 

Embora existam efeitos colaterais da vacina, é preciso ficar ciente de que elas são testadas e aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária  (ANVISA). Às vezes o local da picada pode ter vermelhidão, bem como o surgimento de outros sintomas, como febre. Porém, ao vacinar os filhos, há o aumento do sistema imunológico das crianças, prevenindo-as de doenças graves.

3 – Vacinação é importante para a proteção coletiva

 

Para manter-se em dia, é sempre bom ficar de olho no calendário de vacinação. Se você quiser manter toda a família protegida, a vacinação coletiva é importante, evitando que a doença se espalhe para outras pessoas. Porém, é preciso ficar atento, pois alguns bebês e crianças possuem alergia a determinadas vacinas.

4 – Autismo não é causado pelas vacinas

 

Em 1998, um autor publicou na revista Lancet que vacinar os filhos causava autismo. Porém, foi descoberto que o mesmo havia manipulado os dados inseridos no arquivo, tendo seu registro médico cassado e o artigo removido da revista. Ou seja, o autismo não se inclui em riscos ligados aos efeitos colaterais da vacina.

5 – A criança não terá seu sistema imunológico sobrecarregado

 

Ao contrário do que alguns pais pensam, os bebês e crianças não terão seu sistema imunológico sobrecarregados com muitas vacinas. Elas contêm apenas uma fração dos antígenos do dia a dia, não causando nenhum tipo de malefício.

6 – Meningite Meningocócica é uma das doenças graves que pode ser prevenida por vacinas

 

A meningite meningocócica é uma infecção bacteriana das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, podendo causar sequelas, além de levar a óbito. Embora vacinar os filhos seja a forma mais efetiva de prevenção, evitar aglomerações e manter ambientes limpos ventilados, também são eficazes.

Na rede privada, você consegue vacinar-se contra a doença causada pelos sorogrupos A, C, W e Y, e pode ser dada em crianças de até 2 meses. Na rede pública, o grupo C recebe a vacina gratuitamente, porém, apenas menores de 5 anos e adolescentes de 11 a 14 anos podem recebê-la.

É válido ressaltar que 10% dos adolescentes também podem portar a bactéria, e mesmo não desenvolvendo a doença, tornam-se transmissores através da saliva.

7 – O Ministério da Saúde faz a recomendação de vacinas gratuitas

Como dito anteriormente, o calendário de vacinação que o Ministério da Saúde divulga, conta com campanha gratuita no Sistema Único de Saúde (SUS). Dentre as vacinas disponíveis temos o de Hepatite B, BCG, Meningite C e outras.

Você também pode gostar