Arquivo da tag: bem-estar

Como evitar o nariz entupido nos meses de frio

Os cuidados com a respiração devem ser redobrados com a chegada dos meses frios, época do ano em que a sensação de nariz entupido é mais comum. Na busca por um lugar mais aquecido, a permanência em lugares fechados e compartilhados favorecem também a transmissão de gripes e resfriados, piorando a sensação da congestão nasal.

A congestão nasal, causadora do nariz “entupido”, prejudica não só a respiração, mas pode causar dores de cabeça, coriza, boca seca e falta de ar. Possui diversas causas – como desvio de septo, doenças como gripe e o tempo frio e seco, como veremos a seguir.

Como o frio causa a sensação de nariz entupido?

As épocas frias são, normalmente, mais secas, uma vez que as temperaturas não são altas o suficientes para fazer chover. O tempo, então, seca, e a poluição nas grandes cidades demora a dissipar.  Isso resseca a cavidade nasal, responsável por umidificar o ar que respiramos, causando a sensação de “entupimento”. Crostas, ardor e sangramento também estão atrelados ao nariz entupido causado pelo inverno. Em casos de congestão por gripe ou resfriado, a sensação de entupimento se agrava, ainda que seja identificável sintomas como coriza.

Existem diversas formas de se atenuar o desconforto da congestão nasal. Elas variam de acordo com os motivos pelos quais o paciente sente dificuldade de respirar. Em casos raros de desvio de septo, por exemplo, uma pequena intervenção cirúrgica é necessária. Mas na maioria dos casos é possível driblar os efeitos do frio com algumas dicas básicas. Veja a seguir:

Cuidados para evitar o nariz entupido

O interior do nosso nariz é formado por mucosas que umidificam o ar 24 horas por dia, desde o nascimento. Quando o clima fica frio e seco, ele naturalmente também vai secar e causar a sensação de entupimento. Assim, o mais importante a se fazer nessas situações é ajudar na lubrificação das mucosas nasais. O simples ato de lavar o nariz com soro fisiológico todos os dias já alivia o ardor e facilita a respiração. 

Umidificar o ambiente, seja com toalhas molhadas penduradas ou com umidificadores de ar, também ajuda a desobstruir o nariz. Inalar vapor ajuda: um simples banho quente num ambiente fechado pode aliviar os sintomas. Alguns compostos podem ser colocados na água quente para que o efeito seja mais rápido, como o vapor de água com óleo essencial de eucalipto: o aroma da planta ajuda a desobstruir e o vapor hidrata novamente a mucosa nasal. 

Em casos mais resistentes, é possível utilizar um lavador nasal com soro fisiológico: o aparelho é especialmente desenvolvido para injetar água por uma narina até que ela saia pela outra, desobstruindo toda a via de passagem de ar. Esse recurso, entretanto, não é recomendado para crianças, já que causa certo desconforto.

Pet Terapia: bichos de estimação ajudam pacientes a superarem doenças

Se você tem algum bichinho de estimação, sabe o quanto é difícil se separar dele, não? Agora, imagine a situação complicada em que se encontram pessoas que são hospitalizadas e precisam ficar semanas, às vezes meses, longe de seus fiéis companheiros. Ao se analisarem as reações biológicas no organismo dessas pessoas ao reverem seus pets, foram sendo desenvolvidas diversas técnicas de auxílio em tratamentos, mesmo para os pacientes que não têm animais, até ser desenvolvida a Pet Terapia.

A TAA (Terapia Assistida por Animais), ou simplesmente Pet Terapia, consiste, literalmente, na participação de animais durante o tratamento de alguma doença. Normalmente são usados gatos, aves e coelhos, mas sobretudo os cães, por sua amabilidade. Normalmente, quando o paciente possui um animal de estimação, o próprio animal pode ser solicitado como parte do tratamento. É o que realiza o Vitória Apart Hospital, pioneiro nessa área no Espírito Santo. Lá, os internados sem previsão de alta nos sete próximos dias podem solicitar que seus animais os visitem, desde que dóceis, com laudo veterinário e banho tomado antes da entrada no hospital.

Quais os benefícios da Pet Terapia?

São inúmeros os benefícios da TAA, seja com animais do próprio paciente ou não. Segundo Julia Arruda, do Vitória Apart Hospital, responsável pelo desenvolvimento do protocolo que libera a entrada de animais no hospital, “além de poder favorecer o processo de recuperação de pessoas internadas, a presença dos pets pode melhorar o humor e bem-estar, reduzir a ansiedade e ajudar a encurtar a duração da internação dos pacientes”.

Ainda segundo Arruda, no caso dos que já têm um bichinho de estimação, a visita deles é tão importante quanto a de outras pessoas da família. Isso porque o animal de estimação, aos olhos da família, já é um membro integrante tão importante quanto qualquer outro parente. Assim, eles conseguem “reconfortar os pacientes e proporcionar um pouco da normalidade de suas vidas dentro do ambiente hospitalar”.

O que dizem os estudos sobre a Pet Terapia?

Os estudos que comprovam os benefícios da Pet Terapia não ficam só no papel. Segundo o estudo da pesquisadora Fernanda de Toledo Vieira, Terapia assistida por animais e sua influência nos níveis de pressão arterial de idosos institucionalizados, publicado na Revista de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), os idosos que vivem em asilos que foram submetidos à companhia de cachorros durante o tratamento da pressão alta tiveram resultados extremamente positivos, uma vez que o animal desencadeia a sensação de “bem-estar, saúde emocional, física, social e cognitiva”. Dessa forma, podemos encarar a TAA não necessariamente como a cura, mas como um atalho para a mesma, “funciona como ponte de ligação entre o tratamento e o paciente”, argumenta, em sua pesquisa, Fernanda.

Outro exemplo prático é uma pesquisa realizada em 2015 na Área de Pediatria da Santa Casa de Misericórdia, em São Paulo. Lá, foram adotados 50 cães durante o tratamento de crianças com câncer. Os resultados foram similares, comprovando a eficiência da Pet Terapia: a presença dos animais regulou a pressão arterial e os batimentos cardíacos, diminuindo a ansiedade tanto dos pacientes quanto das famílias que os acompanham.

Um último caso, também de 2015, pertence à Academia Americana de Pediatria, em que ficou comprovado que crianças submetidas à Pet Terapia obtiveram resultados positivos mais rapidamente e, nos dias das visitas dos animais, precisavam de menos remédios para dor.

Você quer saber mais sobre a Pet Terapia e outros tipos de tratamento alternativo? Então fique de olho aqui no blog da Saúde da Saúde!

10 alimentos saudáveis para melhorar a produtividade no dia a dia

Você já se pegou desejando que o dia tivesse mais que 24 horas pelo simples fato de não conseguir melhorar a produtividade e resolver todas as pendências da sua rotina de trabalho? Em ambientes onde a carga horária é extensa e exige muito da nossa mente, a exaustão física e psíquica mais cedo ou mais tarde chega.

Cerca de 20% da nossa performance no dia a dia é decorrente dos alimentos que ingerimos. Isso significa a queda de produtividade no trabalho e a dificuldade de ter disposição para conseguir finalizar tarefas no prazo, além de diversos fatores contextuais, pode estar relacionado ao que você come – e uma simples dieta em alimentos específicos para melhorar a produtividade pode ajudar.

Quais alimentos melhoram minha produtividade?

De fato, existem diversos alimentos que ativam áreas próprias do cérebro relacionadas à memória de curto prazo, à agilidade, ao sono e outros que, se estimulados na medida certa, ampliam sua produtividade e te deixam com bastante disposição. São todos alimentos rápidos e práticos que podem ser ingeridos ao longo do dia, ou misturados no almoço ou na janta. E o melhor: são todos naturais! Confira a lista abaixo.

Tomate

Contribui para a saúde dos ossos por ser rico em potássio, auxiliando a diminuir as dores por estar muito tempo em determinada posição.

Beterraba

É rica em carboidratos, então fornece energia para um longo dia de trabalho. Além disso, ajuda na pressão arterial e nos músculos, principalmente do coração.

Ômega 3

Todo alimento rico em ômega 3 é ótimo para melhorar a produtividade, pois reforça as ligações neuronais, o que favorece a concentração e o aprendizado. É encontrado em algumas sementes, mas principalmente em peixes de água salgada. Dentre eles, se destacam a sardinha e o salmão.

Açafrão

Ótimo para ser consumido em parceria com o Ômega 3, o açafrão previne a morte neuronal. Mas cuidado para não exagerar: uma colher de sopa por dia já é o suficiente, e não precisa ser ingerido puro, podendo ser misturado na beterraba.

Mirtilo

Rico em polifenóis e propriedades anti inflamatórias e antioxidantes, o mirtilo não apenas cuida da sua pele, mas melhora sua produtividade, seu aprendizado e sua memória.

Grão de Bico

É fonte de energia para a realização das tarefas do dia a dia por conter uma quantidade considerável de vitaminas do complexo B, sais minerais e proteínas. As vantagens não param por aí: ele contém triptofano, um dos elementos da serotonina, ajudando no bom humor.

Linhaça

Rica em magnésio e Ômega 3, é ideal para ser consumida em conjunto com outros alimentos como peixes. Contribui para a memória e para o controle do colesterol.

Nozes

Talvez um dos melhores alimentos dessa lista para melhorar a produtividade. Na noz encontramos vitamina E, antioxidantes, ácidos graxos e aminoácidos. Além de melhorar a memória, previne a degeneração neuronal e cognitiva e favorece o desempenho cerebral.

Café

Além da cafeína, contém aminoácidos. É o alimento mais instantâneo para melhorar a produtividade: ativa sua memória a curto prazo, além de te deixar com a sensação de bem estar e disposição.

Chocolate amargo

Quem disse que o chocolate não te ajuda a melhorar a produtividade? Assim como o café, contém uma quantidade considerável de cafeína, trazendo a sensação de bem estar, além de magnésio e potássio, que controla o estresse e ajuda a regular a pressão arterial.

Como o conforto dos hospitais pode influenciar na recuperação do paciente

Ir ao hospital por si só já é uma situação que pode causar desconforto e angústia, ainda mais quando se está com algum problema de saúde. A falta de atendimento adequado e infraestrutura agravam ainda mais essa situação, influenciado na recuperação do paciente. Por isso, é importante que os hospitais deem mais atenção a essa área, para que os pacientes possam escolher as unidades que ofereçam mais conforto.

Arquitetura humanizada

Há diversos estudos nas áreas de Arquitetura e Design de Interiores focados em garantir o conforto dos hospitais. Esses estudos se intensificaram após a publicação do livro The Science of Place and Well-Being, escrito por Esther M. Sterberg que citou uma pesquisa da década de 80 que demonstrou que pacientes que mantinham contato com a natureza durante a internação se recuperaram mais rápido que os demais.

Hoje, é um consenso que para o bem-estar dos pacientes e seus familiares, os hospitais devem estar adequados a algumas dessas normas. Os hospitais de excelência, como os membros da Anahp – Associação Nacional de Hospitais Privados, já possuem essa preocupação com a arquitetura do local, que deve ser humanizada. Para conhecer os associados, acesse o site: www.anahp.com.br

De olho nisso, desde a concepção do projeto à disposição das salas e setores, como também a escolha da decoração, são requisitos essenciais para garantir mais conforto nos hospitais. Afinal de contas, quem nunca foi a um local e se sentiu mal por conta da luz forte, ou pela decoração sombria ou pela falta de decoração? Essas características se conectam com o psicológico do paciente e, por consequência, podem interferir em seu tratamento durante a internação.

Como o ambiente influencia na recuperação

O conforto dos hospitais passa por um projeto arquitetônico que foca no aspecto humano, ou seja, que traz a ideia de um ambiente acolhedor e familiar. Apesar dessas informações serem subjetivas, podendo variar de pessoa para pessoa, há alguns parâmetros e medidas que, em geral, podem contribuir para o conforto.

Em linhas gerais, ambientes frios, impessoais e com pouca cor trazem à tona totalmente o contrário do desejável: a pessoa não se sente bem e à vontade no local. Outros fatores que devem ser eliminados nos ambientes hospitalares são aqueles causadores do estresse: luminosidade excessiva, barulho, ar condicionado muito forte e falta de privacidade. O barulho é uma questão que também merece atenção, já que pode interferir na noite de sono do paciente durante a internação e na sua recuperação física.

Já ambientes espaçosos, iluminados por uma suave luz, se possível, natural, com a presença de objetos de decoração harmoniosos e plantas irão trazer a sensação de familiaridade e de calma. O que pode contribuir para a recuperação do paciente, que muitas vezes está fragilizado.

É importante também destacar que o fluxo de circulação deve ser intuitivo e inteligente. O paciente ao se sentir confortável para transitar no hospital, encontrando os serviços sem precisar pedir por ajuda, se sentirá mais integrado e acolhido durante aquele período.

O mobiliário também merece atenção. É desejável que se fuja dos tradicionais móveis brancos de hospital e, se possível, que se escolha algo moderno e com cores, que ainda sejam claras ou brancas, mas sejam suaves e combinadas com elementos decorativos.

Entenda como o sobrepeso pode afetar a saúde do coração até mesmo dos jovens

O fácil acesso a produtos com alto teor de elementos nocivos somado ao sedentarismo, tem levado vários jovens a um problema que antes era uma preocupação comum apenas da população mais velha: o aumento da pressão arterial (hipertensão) e problemas ligados à saúde do coração.

Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), mostram que a porcentagem de crianças e adolescentes hipertensos dobrou nos últimos vinte anos, enquanto que a obesidade é uma das doenças que mais cresce em nível global.

SOBREPESO EM JOVENS SAUDÁVEIS  

Um estudo da Universidade de Bristol publicado em julho de 2018, apontou que jovens saudáveis, mas que tinham um Índice de Massa Corporal (IMC) mais alto, apresentavam pressão arterial elevada e também problemas prejudiciais à saúde do coração.

A publicação destaca que jovens com IMC um pouco mais elevado, considerado “sobrepeso”, apesar de saudáveis, não estão imunes a doenças cardiovasculares. Por isso, a ideia de se ter um IMC ideal desde cedo, deve ser reforçada, para evitar doenças cardíacas posteriores.

Em agosto do mesmo ano, o Ministério da Saúde abriu uma enquete pública para elaborar o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para tratamento de casos de obesidade e sobrepeso. O documento, que recebeu contribuições da sociedade civil, tem como objetivo aprimorar o atendimento aos pacientes nessas condições no Sistema Único de Saúde (SUS), além de contribuir para a prevenção e controle da obesidade e sobrepeso no país.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que a obesidade é uma das doenças que mais cresce no mundo. Apenas no Brasil, uma em cada cinco pessoas são obesas e mais da metade da população das capitais estão acima do peso.

MUDANÇAS NO ESTILO DE VIDA

Nunca é cedo para cuidar da saúde do coração. Com mudanças simples de hábitos é possível prevenir graves doenças posteriores.

 

  • Beba bastante líquido: sucos, chás e principalmente água ajudam na circulação no sangue, além de irrigar o organismo.
  • Pratique exercícios: uma rotina simples de exercícios já traz grandes benefícios ao corpo, além de ajudar diminuir o peso, impacta diretamente no bem-estar durante o dia.
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro: o consumo de álcool favorece a desidratação, além de fazer com que organismo retenha mais líquidos e aumente a pressão nas veias e artérias. Já a nicotina diminui a espessura dos vasos sanguíneos, trazendo sérias complicações.
  • Consuma fibras: frutas e fibras auxiliam no bom funcionamento do intestino, controlam o peso e diminuem a pressão sobre as veias.

 

Manter um peso saudável em qualquer fase da vida é de extrema importância para afastar doenças futuras, mesmo saudável devemos consultar um médico periodicamente para exames preventivos.

Como a poluição afeta sua saúde

Muito tem se falado sobre os efeitos das ações humanas no planeta. É de conhecimento geral que o aumento dos gases venenosos na atmosfera traz consequências para as mudanças climáticas da Terra, o que afeta diretamente e a curto prazo, o bem-estar da população. Combater a poluição é de extrema importância para a preservação da vida.

Segundo relatório da ONG norte-americana Health Effects Institute, 95% da população mundial está exposta a taxas de poluição superiores às indicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Quem mora nas grandes cidades está mais vulnerável aos efeitos dessa poluição e apesar das inúmeras discussões, ainda há muitas dúvidas acerca do tema, por parte da população.

O médico Paulo Saldiva, especialista em poluição atmosférica e diretor do Instituto de Estudos Avançados da USP, lançou recentemente o livro “Vida Urbana e Saúde – Os Desafios dos Habitantes das Metrópoles”, que faz uma análise dos principais problemas que atingem os grandes aglomerados urbanos, entre eles a bronquite crônica, resultado de anos de inalação de um ar poluído.

EFEITOS DA POLUIÇÃO NA SAÚDE

O tempo seco associado à poluição do ar causa riscos diretos à saúde. Doenças respiratórias como asma, rinite alérgica, bronquite e até câncer de pulmão se tornaram comuns em pessoas que vivem em grandes cidades. Segundo pesquisa do Instituto Saúde e Sustentabilidade, 11,2 mil pessoas morrem todos os anos por problemas causados pela qualidade do ar, apenas no estado de São Paulo.

Além disso, segundo estudos do laboratório de poluição atmosférica da USP, as pessoas mais atingidas são crianças e idosos. Em dias mais secos em que o ar fica mais contaminado, os riscos de morte por doenças cardiovasculares e respiratórias aumentam em 12 a 17% e as internações sobem em 60%. Ainda de acordo com os pesquisadores, um em cada vinte enfartes é causado pela poluição.

A POLUIÇÃO DOMÉSTICA

Segundo dados da OMS, 3,8 milhões de pessoas morrem todos os anos no mundo, em decorrência da poluição doméstica, causada pela queima de carvão ou lenha para cozinhar, iluminar ou aquecer as casas. Com o aumento do preço do gás no Brasil, esse tipo de combustível voltou a ser utilizado pela população de baixa renda, o que preocupa a organização.

MEDIDAS PARA REDUZIR OS EFEITOS

As organizações e o poder público vêm desenvolvendo diversas medidas para melhorar a qualidade do ar, como aumentar áreas de lazer, incentivar o uso de transportes coletivos ou alternativos como a bicicleta, substituição da frota de veículos pesados por modelos elétricos, entre outras. Há também pequenas atitudes nossas que ajudam a reduzir a poluição em ambientes internos.

Veja algumas medidas para adotar em casa:

 

  • Cultive plantas: Além de decorar, as plantas podem trazer diversos benefícios à saúde. Alguns tipos são capazes de absorver toxinas que poluem o ar. Vale a pena pesquisar e ter em diversos ambientes da casa.
  • Utilize carvão vegetal: Esse tipo de carvão auxilia no combate ao mofo e ao mau cheiro e consequentemente purifica ambientes internos. Coloque em pontos estratégicos da casa.
  • Invista em um umidificador de ar: Os purificadores e umidificadores de ar eletrônicos ajudam a melhorar a qualidade do ar, principalmente em ambientes com pouca ventilação.

 

 

Saiba qual a importância em se ter um “médico da família”

Acompanhar o paciente por toda vida é a ideia central da especialidade do médico da família. Esse profissional é capacitado para atender o paciente desde o nascimento e, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 80% dos casos atendidos pelo médico da família são resolvidos sem a necessidade de encaminhamento para outros especialistas.

O médico que faz residência em medicina da família pode, por exemplo, cuidar de pacientes com doenças crônicas, fazer pré-natal de gestantes, além de realizar atendimentos geriátricos. Essa é a ideia das Unidades Básicas de Saúde (UBS) do SUS. Mas devido à falta de profissionais especializados em saúde da família, atrelada à falta de estrutura, as UBS se tornaram um lugar para encaminhamento de pacientes para especialistas.

A IMPORTÂNCIA DE SE TER UM MÉDICO DA FAMÍLIA

Fora do Brasil existem sistemas públicos de saúde territoriais, onde o atendimento só pode ser realizado dentro do “bairro” do paciente. Cada vez que o paciente se muda, deve informar à prefeitura para que seu prontuário seja transferido para o território da nova residência. Essa prática garante que o atendimento continue de forma personalizada, pois o novo médico já terá acesso ao histórico do paciente. A “continuidade” é a palavra-chave da especialidade.

Visitas periódicas ao consultório médico ou a domicílio são essenciais para o acompanhamento com o médico da família. Independente da situação, as visitas podem acontecer até na ausência de queixas, a fim de realizar exames ou consultas preventivas. Essa relação cria um ambiente sustentável para os hospitais, planos de saúde e pacientes, que perdem o hábito de correr para os prontos atendimentos ao menor sintoma de doença, além de evitar a exposição aos males do ambiente hospitalar.

O MÉDICO DA FAMÍLIA NO BRASIL

Médicos de família atuam no sistema público e privado. O Programa Saúde da Família, no setor público, é responsável por muitos atendimentos diários, mesmo enfrentando problemas de estrutura, para se inscrever é necessário procurar uma Unidade de Saúde da Família na região onde o paciente mora.

No setor privado, os planos de saúde vêm investindo cada vez mais nessa especialidade. Operadoras convidam seus clientes a se inscreverem em uma unidade de coordenação de cuidado a partir daí são acompanhados sempre pela mesma equipe médica. O paciente recebe a garantia de atendimento no mesmo dia ou até no dia seguinte, quando precisar. Se algum problema surgir durante a noite ou finais de semana, um telefone celular com atendimento 24 horas é disponibilizado pela operadora, o paciente conversa com um agente que acessa seu prontuário e realiza as orientações e encaminhamentos. Diversas operadoras de plano de saúde já relatam os ótimos resultados desse modelo.

Políticas que incentivem a prática de assistência ambulatorial com médico de família fazem parte de um caminho na busca de um sistema de saúde sustentável. O modelo que dá muito certo em países do exterior, já vem sendo implementado há anos no sistema público brasileiro e começa agora a ser replicado na saúde suplementar gerando diversos benefícios e trazendo bem-estar para os pacientes.

Dicas de alimentação saudável no dia a dia

Para se ter uma melhor qualidade de vida é imprescindível pensar na alimentação saudável. Com a correria do dia a dia fica cada vez mais difícil planejar um cardápio benéfico, mas é preciso esforço, pois as recompensas são inúmeras.

Para que a alimentação seja saudável, ela deve ser composta de fibras, vitaminas, gorduras boas e carboidratos, quanto mais variada melhor e sempre com moderação. É importante adequar cada tipo de alimento aos horários de refeições durante o dia, sempre evitando passar longos períodos sem comer nada.

HÁBITOS DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Para que a alimentação saudável se torne uma rotina, é preciso estabelecer metas. Comece com uma meta semanal, prepare seus alimentos antes, escreva tudo o que pretende comer durante o dia, coloque alarmes para não se esquecer e seja persistente. Além disso, algumas práticas devem ser adotadas para colocar o organismo em ordem:

  • Nunca dispense o café da manhã: Passamos cerca de 8 horas em jejum, logo precisamos repor nutrientes. O café da manhã é ideal para perder peso ou mantê-lo, para isso ele deve ser rico em fibras e proteínas, como leite semidesnatado, frutas, pão integral e queijo magro.
  • Não passe longos períodos sem comer: Faça pequenos lanches entre as grandes refeições, isso ajuda a acelerar o metabolismo e auxilia na perda de peso. Além disso, evita que a pessoa busque comer mais na próxima refeição.
  • Inclua os alimentos naturais: A rotina atribulada, principalmente em grandes cidades, faz com que busquemos alimentos rápidos e em sua maioria industrializados. Mas opte sempre por uma refeição mais natural possível. Se vai comer um macarrão industrializado, faça você mesmo o molho de acompanhamento, se vai tomar um suco, busque o natural. Alimentos industrializados são ricos em substâncias com alto teor de sódio que causam o mau funcionamento dos rins e hipertensão.
  • Faça refeições balanceadas: A não ser que você tenha que fazer uma dieta restritiva, coma de tudo, com moderação. Se você não entende muito bem sobre micronutrientes, a receita para uma refeição equilibrada é a diversidade de alimentos e de cores no prato.
  • Deixe o açúcar de lado: Alimentos com alto teor de açúcar refinado passam por diversos processos químicos que os deixam nocivos à saúde do corpo. Hoje em dia encontramos adoçantes com sucralose e stevia, que têm um índice glicêmico menor. Também é recomendado trocar o docinho das sobremesas por frutas secas.

MARMITA NO DIA A DIA

Para quem trabalha fora, a hora do almoço sempre vem acompanhada da dúvida “almoçar em restaurante ou levar marmita?”. Muitas vezes não temos tempo de preparar a marmita para o almoço do dia seguinte, mas a marmita além de econômica, pode ser uma forte aliada da alimentação saudável no dia a dia. Leve saladas à parte, invista em proteínas magras, sem frituras e abuse dos legumes cozidos. Lembre-se: quanto mais colorido, melhor.

A dica final é procurar sempre comer o que você gosta, a comida no dia a dia deve ser prazerosa, coma de tudo um pouco e de todos os grupos de alimentos. Com o excesso de informações sobre alimentação, as pessoas tendem a ficar com medo de consumir um ou outro alimento, mas uma dieta saudável é aquela que envolve todo tipo de comida, sempre com moderação. Com práticas simples, inseridas aos poucos na rotina, é possível sentir uma melhora no bem-estar, em pouco tempo.

Sua empresa se preocupa com a sua saúde?

Uma das principais preocupações das empresas deve ser com o bem-estar dos seus colaboradores, principalmente quando o tema é saúde do trabalho. Ter todos os funcionários trabalhando de forma produtiva é o ideal para as organizações, mas por diversos fatores isso não acontece com facilidade. E a ausência do colaborador por motivos de saúde é um deles.

Promover ações que melhoram a saúde dos colaboradores gera benefícios tanto para os funcionários quanto para as organizações. Um colaborador que não esteja bem, mesmo que esteja presente, não tem a mesma produtividade. Devemos nos atentar também para doenças contagiosas, como gripes e resfriados, que podem prejudicar outras pessoas no ambiente.

Entre os grandes vilões por problemas de saúde do trabalho estão as tensões musculares, causadas, na maioria das vezes, por várias horas de trabalho na frente do computador. Apesar de não ser uma tarefa pesada, exige muita concentração, o que gera a tensão.

GINÁSTICA LABORAL E SEUS BENEFÍCIOS

Para evitar as complicações mencionadas, a recomendação é sempre cuidar da sua postura, fora e dentro do ambiente de trabalho. Uma das práticas bastante utilizadas pelas organizações é a ginástica laboral, que tem como principal objetivo prevenir tensões e outros problemas causados pela atividade diária.

A ginástica laboral é normalmente realizada dentro do ambiente de trabalho, pode ser feita diariamente ou conforme a frequência que a empresa disponibiliza, por um curto período de tempo, normalmente de 10 a 15 minutos. A atividade ajuda no alongamento e fortalecimento de musculaturas com pouco uso, compensa posturas além de poder ser realizada para relaxamento e diminuição do estresse.

COMO CUIDAR DA SAÚDE DENTRO DO AMBIENTE DE TRABALHO

Atualmente algumas organizações têm programas para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores, além de ginásticas laborais, oferecem massagem e disponibilizam manuais de bem-estar e saúde do trabalho. Mas é preciso também que os funcionários se preocupem com sua saúde dentro e fora do ambiente corporativo.

Para evitar complicações futuras, que prejudiquem a empresa e o colaborador, devemos realizar atividades saudáveis, como:

  • Manter uma boa alimentação: mesmo em dias corridos, nunca deixe de se alimentar de forma saudável. Isso evita mal-estar e dificuldades em realizar as tarefas, após as refeições.
  • Praticar atividades físicas regulares: Além das ginásticas laborais, exercitar o corpo é de extrema importância, alongue-se durante o dia e realize atividades fora do ambiente corporativo.
  • Aproveitar os momentos fora do ambiente de trabalho: Ao sair da empresa, desligue-se de suas atividades, aproveitar os momentos com família e amigos ajuda a relaxar e preparar a mente para o próximo dia de trabalho

A preservação e manutenção da saúde do trabalho, reflete diretamente no rendimento dos colaboradores. Diversas empresas já estão mudando suas prioridades, não se restringindo apenas aos aspectos de produção, mas também na qualidade de vida de seus funcionários. A ginástica laboral é uma forma de deixar a rotina mais agradável, mas é preciso também se atentar para o desgaste emocional. É sempre melhor prevenir do que remediar.

Como hábitos no ambiente de trabalho podem melhorar sua postura e reduzir dores

A história é conhecida: muitas horas sentado em frente à tela do computador e logo as dores nas costas começam a surgir.  Na maioria dos casos, essa dor nas costas está relacionada à má postura, mas pode evoluir para uma doença mais séria.

De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde e IBGE, 18,5% da população têm alguma doença crônica na coluna como cifose, lordose, artrose, escoliose ou hérnia de disco. Por isso, é importante ficar de olho e tomar alguns cuidados durante o horário de trabalho para melhorar a postura e evitar complicações de saúde.

1 – Ajuste a cadeira e a tela do computador

É importante que a cadeira seja ergonômica, ou seja, tenha um encosto cuja forma e curvatura se adaptam ao corpo, protegendo a região lombar. Além disso, o assento também deve ser ajustável para que se adapte a altura do funcionário. Em relação ao computador, é importante que esteja na altura do olhos do indivíduo e com uma distância mínima de 30 cm.  

2 – Preste atenção à sua postura

Ao trabalhar em frente a uma mesa ou digitando no computador é importante manter as costas retas, apoiadas no encosto da cadeira, mantendo as pernas debaixo da mesa, evitando cruzá-las. Se necessário, utilize encostos para apoiar os pés e, assim, garantir que estejam confortavelmente retos e apoiados no chão, sem que estejam esticados.

Outra dica importante para prevenir a dor nas costas é evitar trabalhar com o tronco totalmente inclinado. Quando estamos trabalhando em uma mesa é natural que nos inclinemos para digitar ou pegar algo, mas com isso forçamos a lombar, podendo ocasionar possíveis problemas na coluna como a cifose.

3 – Alongue-se

Ao levantar,  antes de dormir e durante o expediente é importante alongar-se. Exercícios simples e rápidos podem ajudar a manter a saúde da coluna, como também evitar lesões musculares. O alongamento favorece a circulação sanguínea e ajuda a colocar a coluna na posição certa, evitando deformações. Por isso, sempre que possível alongue-se durante o expediente. Há diversos exercícios para as mãos, pernas e coluna que podem ser feitos de forma rápida e simples sem chamar atenção dos colegas.

Se sua empresa possui aulas de ginástica laboral, não deixe de fazê-las. Aproveite, também, para conversar com o profissional sobre suas dores e dificuldades. Ele poderá orientá-lo sobre possíveis exercícios que irão ajudá-lo na postura.

4 – Não fique parado

Além do alongamento, é muito importante que você se movimente. Subir e descer escadas, deixar o carro mais longe para caminhar mais e levantar mais para tomar água já são algumas atividades que poderão lhe ajudar bastante a melhorar a postura.

Já fora do local do trabalho, invista na prática de exercício físico. Não tem tempo? Vale até fazer exercícios rápidos em casa mesmo. Há diversos aplicativos para celular com séries de exercícios que podem ser feitos na própria residência. Com pequenas mudanças no dia a dia, é possível adicionar mais energia e qualidade de vida. Invista em você.

A dor persiste? Procure ajuda médica

Se a dor é intensa ou persistente, na dúvida, é importante procurar um médico ortopedista que irá examiná-lo e solicitará exames para ver como está a saúde da sua coluna. Não espere que a dor nas costas piore para procurar ajuda médica. Quanto antes o diagnóstico, melhor será o prognóstico e mais rápido será o controle da dor.