Arquivo da tag: hipertensão

Como evitar que a pandemia agrave quadros de doenças crônicas

Ao interromper o tratamento de uma doença crônica por causa da pandemia de Covid19, o paciente corre o risco de tornar uma enfermidade controlada em um quadro potencialmente fatal. Já quem ainda não apresenta um problema de saúde do tipo, mas tende a negligenciar alguns sintomas por medo de procurar o hospital, pode contribuir para um diagnóstico tardio – o que dificulta o controle da doença posteriormente.

Em entrevista ao portal, a vice-diretora clínica do Hospital Vera Cruz de Campinas (SP), Gisele Figueiredo Ramos, falou dos cuidados necessários para evitar o agravamento de quadros de diabetes, hipertensão e doenças cardiovascular, por exemplo, por causa da pandemia. 

Quais os riscos para um paciente com doença crônica que deixa de fazer o acompanhamento médico durante a pandemia por medo de se contaminar no hospital?

Gisele: Muitos pacientes que possuem doenças como hipertensão, diabetes, dislipidemia e doenças cardiovasculares, necessitam de um acompanhamento. A perda do seguimento e a interrupção de medicamentos de uso contínuo podem levar a um desfecho desfavorável. O paciente pode ter complicações da própria doença e chegar a um infarto ou AVC. Por isso é tão importante manter o seguimento dessas doenças crônicas no contexto da pandemia. 

Esse cenário pode refletir no aumento da incidência de doenças crônicas no futuro? 

Gisele: Com certeza. Pode aumentar o número de doenças crônicas em decorrência da falta de procura de assistência e de cuidados médicos nesse momento de pandemia – uma vez que os pacientes não estão procurando os médicos para identificar doenças, verificar a pressão, fazer os exames laboratoriais e identificar possíveis complicações e alterações na saúde. Por exemplo, a hiperglicemia no caso de um possível diagnóstico de diabetes. Quando o paciente procurar por atendimento, pode ser que esteja em uma fase já mais complicada, de difícil controle, exigindo internações mais prolongadas. Também ocorre que algumas pessoas estão ansiosas e estressadas em casa, sedentárias e se alimentando mal. Então, há ainda uma questão multifatorial contribuindo para o aumento no número de doenças crônicas. 

Quais sintomas acendem o sinal de alerta para possíveis complicações de doenças como hipertensão, diabetes e cardiovasculares? 

Gisele: É importante que os pacientes, quando perceberem algum sinal, algum sintoma diferente, procurem o atendimento médico. Entre esses sintomas estão emagrecimento, boca seca, aumento da diurese, dor no peito, perda de força em algum lado do corpo. Todos esses sintomas são importante e sinais de que é preciso procurar um atendimento médico. 

A telemedicina pode ser uma alternativa de acompanhamento para pacientes crônicos? Que tipo de monitoramento ela permite?

Gisele: A telemedicina é uma opção, sim, principalmente para a checagem de exame laboratorial, renovação de receita, solicitação de exames. Cada caso é um caso, e alguns precisam ser avaliados pessoalmente. Mas com certeza a telemedicina é uma opção nesse momento de pandemia. 

Como o Vera Cruz tem garantido a segurança no cuidado desses pacientes durante a pandemia?

Gisele: Aqui em Campinas, temos a unidade do Hospital Vera Cruz e também a unidade Casa de Saúde Vera Cruz. Para proteção e para continuar o seguimento dos pacientes de doenças crônicas, pacientes oncológicos, as emergências clínicas e cirúrgicas, para que pudessem continuar sendo atendidos de forma segura, optamos por montar um centro especializado de atendimento a pessoas com suspeita ou com diagnóstico de Covid-19 na Casa de Saúde Vera Cruz. 

Dessa forma, estamos conseguindo separar os pacientes com quadro respiratório, encaminhados para a Casa de Saúde Vera Cruz, e os pacientes que não têm quadro respiratório são atendidos no Hospital Vera Cruz. Assim, conseguimos dar continuidade no atendimento das emergências clínicas, cirúrgicas, cardiológicas e também no tratamento ambulatorial. Foi uma medida muito importante nesse momento, pois não podemos esquecer das doenças crônicas, que têm uma mortalidade altíssima, como as doenças cardiovasculares. Então, acabamos direcionando e garantindo um tratamento seguro para esses pacientes.

Entenda como o sobrepeso pode afetar a saúde do coração até mesmo dos jovens

O fácil acesso a produtos com alto teor de elementos nocivos somado ao sedentarismo, tem levado vários jovens a um problema que antes era uma preocupação comum apenas da população mais velha: o aumento da pressão arterial (hipertensão) e problemas ligados à saúde do coração.

Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), mostram que a porcentagem de crianças e adolescentes hipertensos dobrou nos últimos vinte anos, enquanto que a obesidade é uma das doenças que mais cresce em nível global.

SOBREPESO EM JOVENS SAUDÁVEIS  

Um estudo da Universidade de Bristol publicado em julho de 2018, apontou que jovens saudáveis, mas que tinham um Índice de Massa Corporal (IMC) mais alto, apresentavam pressão arterial elevada e também problemas prejudiciais à saúde do coração.

A publicação destaca que jovens com IMC um pouco mais elevado, considerado “sobrepeso”, apesar de saudáveis, não estão imunes a doenças cardiovasculares. Por isso, a ideia de se ter um IMC ideal desde cedo, deve ser reforçada, para evitar doenças cardíacas posteriores.

Em agosto do mesmo ano, o Ministério da Saúde abriu uma enquete pública para elaborar o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para tratamento de casos de obesidade e sobrepeso. O documento, que recebeu contribuições da sociedade civil, tem como objetivo aprimorar o atendimento aos pacientes nessas condições no Sistema Único de Saúde (SUS), além de contribuir para a prevenção e controle da obesidade e sobrepeso no país.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que a obesidade é uma das doenças que mais cresce no mundo. Apenas no Brasil, uma em cada cinco pessoas são obesas e mais da metade da população das capitais estão acima do peso.

MUDANÇAS NO ESTILO DE VIDA

Nunca é cedo para cuidar da saúde do coração. Com mudanças simples de hábitos é possível prevenir graves doenças posteriores.

 

  • Beba bastante líquido: sucos, chás e principalmente água ajudam na circulação no sangue, além de irrigar o organismo.
  • Pratique exercícios: uma rotina simples de exercícios já traz grandes benefícios ao corpo, além de ajudar diminuir o peso, impacta diretamente no bem-estar durante o dia.
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro: o consumo de álcool favorece a desidratação, além de fazer com que organismo retenha mais líquidos e aumente a pressão nas veias e artérias. Já a nicotina diminui a espessura dos vasos sanguíneos, trazendo sérias complicações.
  • Consuma fibras: frutas e fibras auxiliam no bom funcionamento do intestino, controlam o peso e diminuem a pressão sobre as veias.

 

Manter um peso saudável em qualquer fase da vida é de extrema importância para afastar doenças futuras, mesmo saudável devemos consultar um médico periodicamente para exames preventivos.