Arquivo da tag: saude da saude

Sua empresa se preocupa com a sua saúde?

Uma das principais preocupações das empresas deve ser com o bem-estar dos seus colaboradores, principalmente quando o tema é saúde do trabalho. Ter todos os funcionários trabalhando de forma produtiva é o ideal para as organizações, mas por diversos fatores isso não acontece com facilidade. E a ausência do colaborador por motivos de saúde é um deles.

Promover ações que melhoram a saúde dos colaboradores gera benefícios tanto para os funcionários quanto para as organizações. Um colaborador que não esteja bem, mesmo que esteja presente, não tem a mesma produtividade. Devemos nos atentar também para doenças contagiosas, como gripes e resfriados, que podem prejudicar outras pessoas no ambiente.

Entre os grandes vilões por problemas de saúde do trabalho estão as tensões musculares, causadas, na maioria das vezes, por várias horas de trabalho na frente do computador. Apesar de não ser uma tarefa pesada, exige muita concentração, o que gera a tensão.

GINÁSTICA LABORAL E SEUS BENEFÍCIOS

Para evitar as complicações mencionadas, a recomendação é sempre cuidar da sua postura, fora e dentro do ambiente de trabalho. Uma das práticas bastante utilizadas pelas organizações é a ginástica laboral, que tem como principal objetivo prevenir tensões e outros problemas causados pela atividade diária.

A ginástica laboral é normalmente realizada dentro do ambiente de trabalho, pode ser feita diariamente ou conforme a frequência que a empresa disponibiliza, por um curto período de tempo, normalmente de 10 a 15 minutos. A atividade ajuda no alongamento e fortalecimento de musculaturas com pouco uso, compensa posturas além de poder ser realizada para relaxamento e diminuição do estresse.

COMO CUIDAR DA SAÚDE DENTRO DO AMBIENTE DE TRABALHO

Atualmente algumas organizações têm programas para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores, além de ginásticas laborais, oferecem massagem e disponibilizam manuais de bem-estar e saúde do trabalho. Mas é preciso também que os funcionários se preocupem com sua saúde dentro e fora do ambiente corporativo.

Para evitar complicações futuras, que prejudiquem a empresa e o colaborador, devemos realizar atividades saudáveis, como:

  • Manter uma boa alimentação: mesmo em dias corridos, nunca deixe de se alimentar de forma saudável. Isso evita mal-estar e dificuldades em realizar as tarefas, após as refeições.
  • Praticar atividades físicas regulares: Além das ginásticas laborais, exercitar o corpo é de extrema importância, alongue-se durante o dia e realize atividades fora do ambiente corporativo.
  • Aproveitar os momentos fora do ambiente de trabalho: Ao sair da empresa, desligue-se de suas atividades, aproveitar os momentos com família e amigos ajuda a relaxar e preparar a mente para o próximo dia de trabalho

A preservação e manutenção da saúde do trabalho, reflete diretamente no rendimento dos colaboradores. Diversas empresas já estão mudando suas prioridades, não se restringindo apenas aos aspectos de produção, mas também na qualidade de vida de seus funcionários. A ginástica laboral é uma forma de deixar a rotina mais agradável, mas é preciso também se atentar para o desgaste emocional. É sempre melhor prevenir do que remediar.

Como prevenir a obesidade infantil?

Um estudo recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que em 2021, caso não haja mudanças significativas de hábitos, haverá mais crianças obesas do que com baixo peso em todo o mundo. A mesma publicação estima que 41 milhões de crianças com menos de 5 anos estão acima do peso em países desenvolvidos ou emergentes. Apesar de ser um tema amplamente discutido, ainda há muitas dúvidas por parte da população sobre a melhor forma de prevenir a obesidade infantil.

É comum que os pais não reconheçam o excesso de peso dos filhos, esperam que com o crescimento a criança emagreça e apenas se queixam aos profissionais de saúde quando elas parecem comer pouco. Como consequência, essa população apresenta um alto risco de desenvolver doenças crônicas como diabetes e hipertensão cada vez mais cedo.

DICAS DE PREVENÇÃO DA OBESIDADE INFANTIL

Por mais que o fator genético influencie, é o ambiente no qual a criança está inserida que exerce o principal impacto nos casos de excesso de peso. A prevenção pode começar desde o período gestacional: o ganho excessivo de peso durante a gestação e a má alimentação materna são fatores que aumentam o risco de obesidade infantil. Após o nascimento, o ganho rápido de peso do bebê deve ser acompanhado.

Tempo de amamentação

Uma das principais formas de prevenção nos primeiros meses é o aleitamento materno. A OMS recomenda que o aleitamento materno seja exclusivo até os 6 meses de idade. Só a partir daí os alimentos complementares devem ser introduzidos.

Refeições em família

Evidências apontam que crianças que fazem refeições regularmente em família têm menos riscos de obesidade. O consumo de frutas e vegetais deve ser encorajado pelos pais, inclusive nas lancheiras e outras refeições fora de casa.

Práticas inadequadas dos pais

É importante que os pais se atentem aos sinais de saciedade e fome das crianças. Usar mamadeira para acalmar o bebê, oferecer comida como punição ou recompensa, são práticas que podem ter efeito negativo no comportamento alimentar.

Cuidado com o excesso de telas

Pesquisas mostram que 90% das crianças menores de dois anos assistem à televisão diariamente. O tempo dedicado à essa atividade está associado ao excesso de peso e obesidade. A Academia Americana de Pediatria recomenda 60 minutos de atividade física moderada, adequadas à faixa etária.

COMO TRATAR A OBESIDADE INFANTIL

O tratamento da obesidade infantil deve passar por diversos especialistas da saúde. Cada criança com sobrepeso ou obesidade deve receber um tratamento específico, respeitando a idade, peso e fatores de risco.

Para crianças que estão com sobrepeso, sem risco de desenvolver outras doenças, pode ser recomendada apenas uma manutenção nos hábitos alimentares e estímulos de exercícios. Com o crescimento, a criança poderá entrar numa faixa saudável de IMC, mas como já dissemos anteriormente, não espere o crescimento.

Para crianças com obesidade já diagnosticada e riscos de desenvolver outras doenças, o tratamento deve incluir um acompanhamento da perda de peso, sendo ela lenta e constante. Independente dos níveis de sobrepeso ou obesidade, uma mudança completa no estilo de vida deve fazer parte do tratamento. Praticar atividades físicas e manter uma rotina de alimentação saudável, são as principais formas de tratamento. Tudo isso sempre acompanhado de profissionais que possam indicar os melhores caminhos para combater a obesidade infantil.

Conheça a plataforma digital “Abertamente” para falar sobre Saúde Mental

Falar sobre saúde mental ainda é um tabu em muitos espaços da sociedade. A falta de abertura para abordar o tema é um dos desafios na conscientização sobre possíveis tratamentos e, por isso, a plataforma Abertamente nasce com o intuito de informar e acolher aqueles que convivem com distúrbios de origem mental.

O que são doenças mentais?

A saúde mental de uma pessoa pode ser afetada de várias formas e não necessariamente implica qualquer tipo de incapacidade por parte de quem é acometido por algum distúrbio. Neste grupo, encaixam-se as doenças que comprometem o sistema nervoso central, desde as mais estigmatizadas, como a esquizofrenia, até problemas mais comuns, como ansiedade e depressão.

Não enfrente sua mente sozinho

Além de oferecer conteúdo de qualidade que fala sem preconceitos sobre o tema, a plataforma Abertamente também se propõe a facilitar o acesso de pacientes à orientação médica adequada. “O objetivo é que a pessoa tenha uma referência na hora de pesquisar sobre o tema e também um canal com os especialistas da área. A população precisa saber que há várias formas de tratamento, sem que haja necessariamente uma internação”, explica o neurologista Dr. Willians Lorenzatto.

Criada pela FQM Farma, o projeto nasceu de esforços da campanha da indústria farmacêutica para o Setembro Amarelo, em apoio ao Centro de Valorização da Vida (CVV). O conteúdo da plataforma Abertamente é liberado semanalmente. Nas redes sociais, a iniciativa ainda conta com depoimentos de profissionais da área, a fim de encontrar pessoas dispostas a serem voluntários na busca pela conscientização sobre saúde mental.

Saúde mental no Brasil

Embora o bem-estar seja essencial, o alto custo do tratamento acaba tornando o tema ainda mais urgente em território nacional. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que só o Brasil abriga 23 milhões de pessoas que enfrentam esse tipo de doença e, desde 2012, é uma das principais preocupações do país.

Quem é mais vulnerável?

Além do fator geográfico, há outros motivos que contribuem para a alta incidência dessas doenças. Segundo estudo conduzido pela Fapesp em parceria com um consórcio internacional – que ficou responsável por averiguar países como França, Inglaterra, Holanda, Espanha e Itália – homens jovens, ou seja, de 18 a 24 anos, estão mais propensos a vivenciarem episódios psicóticos.

Outras pessoas mais sensíveis a este tipo de transtorno, são minorias étnicas e classes que sofrem com desigualdade socioeconômica. Se você está na Grande São Paulo e sofre com sintomas de alguma das doenças mentais, não deixe de procurar ajuda em um dos hospitais membros da Anahp cadastrados nos serviços de atendimento.

 

Programa de Tratamento da Obesidade quer política de controle para alimentos industrializados

A obesidade é hoje uma das principais preocupações da OMS (Organização Mundial da Saúde), órgão das Nações Unidas que já fez diversos alertas sobre o problema de saúde que é a segunda maior causa de mortes no mundo. Este cenário também reflete a realidade do Brasil, onde as pessoas adoram a rapidez dos alimentos industrializados, o que acaba  se transformando em várias consequências ruins para a saúde, como o uso de inibidores de apetite, por exemplo.

No Brasil, cerca de 18,9% das pessoas estão obesas, de acordo com levantamento da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Quais são as causas da obesidade?

São várias as razões que levam as pessoas ao extremo do sobrepeso. Mas uma das principais causas é a constante presença de alimentos industrializados nos hábitos da população, como destaca Cid Pitombo, coordenador do Programa de Tratamento da Obesidade do Estado do Rio de Janeiro:

“O Estado deve atuar na garantia do bom hábito alimentar em escolas, na orientação às famílias sobre correto uso de alimentos e no controle do acesso ao alimento industrializado, que claramente, por ser mais barato, de baixo valor nutricional e alto valor calórico, leva a um sério problema de saúde pública que é a obesidade. O Estado precisa intervir neste lado. Prevenção com hábito saudável de alimentação, mais acesso a possibilidades de atividade física na boa orientação às famílias”.

Além de várias causas, diferentes consequências

A alta taxa de mortes que resultam de deficiências na saúde provocadas pela obesidade é um problema global, como mencionado, mas os caminhos que podem levar à situação irreversível, são vários, entre eles está a recorrência aos inibidores de apetite. Mas essa procura por solução, tem um lado negativo bem maior que o positivo.

Já está mais do que provado por diversos estudos mundiais que a maior parte desses inibidores de apetite tem efeitos colaterais mais graves que o benefício da perda de peso”, argumenta Cid Pitombo. Para o especialista no tratamento da obesidade, o controle do acesso a esse tipo de medicamento deve ser responsabilidade do Estado, assim como a conscientização sobre os riscos de uma dieta que sempre inclua alimentos industrializados.

“O Estado deve determinar que essas medicações sejam de uso específico de clínicas especializadas, com profissionais extremamente habilitado e isentos de envolvimento com a indústria farmacêutica e, assim, tenham mais condições de propiciar um tratamento adequado com essas drogas. Sou radicalmente contra a liberação de medicamento para pessoas com sobrepeso e obesidade. Estão mais que comprovados que não tem boa funcionalidade. Daí que em países desenvolvidos, como nos Estados Unidos, a oferta dessa medicação é muito restrita”, explica Dr. Pitombo.

Não deixe de buscar orientação médica

A busca por melhorias na saúde é sempre positiva, mas é necessário ter o acompanhamento de especialistas. No Brasil, você pode contar com os hospitais membros da Anahp: Associação Nacional de Hospitais Privados. No estado mais afetado pela obesidade, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (2013) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Santa Catarina, você pode recorrer aos Hospitais Baia Sul, Hospital Dona Helena e Hospital Santa Catarina – Blumenau.

Outubro Rosa: doação de perucas e lenços ajudam mulheres com câncer de mama no Brasil

O câncer de mama faz parte da realidade de muitas mulheres. Os dados mais recentes revelam que em 2016 foram diagnosticados 57.960 casos no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Ele é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no país, vindo logo após o de pele não melanoma.

O mês de Outubro se tornou o mês para conscientização e prevenção da doença, mais conhecido como “Outubro Rosa”, por isso várias ações são feitas durante o mês.

Doação de cabelo e criação de perucas

Recentemente na Beauty Fair, maior evento de beleza da América Latina, o projeto “Solidariedade em Fios” reuniu cerca de 80 mulheres que cortaram o cabelo para doação ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O lugar transforma as mechas doadas em próteses capilares para pacientes em tratamento de câncer.

Aline Maeshiro foi uma das doadoras. Ela estava com um cabelo até o fim das costas e resolveu doar 42 centímetros de mechas, deixando o cabelo bem curto. Foi a maior doação que o projeto teve no dia, gerando um grande material para a construção de perucas.

Como doar cabelo

As pessoas interessadas em participar do projeto podem enviar suas mechas pelos Correios para o Fundo Social (Avenida Morumbi, 4.500, 2º andar, sala 232, São Paulo, SP, Cep 05650-905) ou entregá-las pessoalmente na Escola de Beleza (Condomínio Edifício Água Branca – 73, R. Coriolano, 631 – Água Branca, São Paulo). A única exigência é que as madeixas estejam limpas, secas, amarradas, dentro de um saquinho e que tenham no mínimo 15 centímetros. Ainda existe a possibilidade de o doador cortar o cabelo gratuitamente na própria Escola.

Doação de lenços

Outro projeto que apoia a causa é o Instituto Quimioterapia e Beleza (IQeB). O instituto faz mensalmente uma doação com cerca de 700 lenços para o projeto De Bem Com Você – A beleza contra o câncer, coordenado pelo Instituto Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), o qual promove oficinas de automaquiagem à mulheres que estão em tratamento contra o câncer.

O IQeB foi idealizado pela blogueira e ativista Flávia Flores, com uma história de superação que incentivou a criação do projeto. Formada em Administração, ela já trabalhou em grandes empresas do mercado de moda nacional e internacional. Em 2012, Flávia foi diagnosticada com câncer de mama e foi quando resolveu criar o inédito projeto “Quimioterapia e Beleza”. Em 2013, ela publicou o best seller homônimo, e em 2015 inaugurou o IQeB, e desde então ajuda mulheres que estão na luta pela cura do câncer, igual ela passou.

Má Mascarenhas, uma das presenteadas, postou sua alegria nas redes sociais, com um depoimento em agradecimento aos lenços que ganhou.

“Não sei como agradecer o carinho e o acolhimento de pessoas que nunca me viram. Quando o chão se abre e parece que a queda não vai ter fim, aparece uma página amiga, com pessoas que enxugam suas lágrimas e que você ajuda a enxugar lágrimas também. Você descobre que a maior arma contra o que vai enfrentar é a resistência, a perseverança, a resiliência e sua fé.”

Para Má Mascarenhas, receber o lenço foi como receber um troféu. “Meu troféu, que eu vou erguer e amarrar no alto da minha cabeça e ficar linda para enfrentar o que tiver de enfrentar”, afirma.

Como doar lenços

As pacientes conseguem solicitar ou doar pelo site: www.bancodelencos.com.br. Quando solicitam, elas têm opção de descrever como são e como querem o seu lenço. Antes do envio, que é gratuito, existe um processo operacional que consiste no armazenamento dos lenços, novos ou usados, triagem, higienização, embalagem, separação de pedidos e postagem, além de fazer uma mensagem específica para cada mulher.

Como hábitos no ambiente de trabalho podem melhorar sua postura e reduzir dores

A história é conhecida: muitas horas sentado em frente à tela do computador e logo as dores nas costas começam a surgir.  Na maioria dos casos, essa dor nas costas está relacionada à má postura, mas pode evoluir para uma doença mais séria.

De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde e IBGE, 18,5% da população têm alguma doença crônica na coluna como cifose, lordose, artrose, escoliose ou hérnia de disco. Por isso, é importante ficar de olho e tomar alguns cuidados durante o horário de trabalho para melhorar a postura e evitar complicações de saúde.

1 – Ajuste a cadeira e a tela do computador

É importante que a cadeira seja ergonômica, ou seja, tenha um encosto cuja forma e curvatura se adaptam ao corpo, protegendo a região lombar. Além disso, o assento também deve ser ajustável para que se adapte a altura do funcionário. Em relação ao computador, é importante que esteja na altura do olhos do indivíduo e com uma distância mínima de 30 cm.  

2 – Preste atenção à sua postura

Ao trabalhar em frente a uma mesa ou digitando no computador é importante manter as costas retas, apoiadas no encosto da cadeira, mantendo as pernas debaixo da mesa, evitando cruzá-las. Se necessário, utilize encostos para apoiar os pés e, assim, garantir que estejam confortavelmente retos e apoiados no chão, sem que estejam esticados.

Outra dica importante para prevenir a dor nas costas é evitar trabalhar com o tronco totalmente inclinado. Quando estamos trabalhando em uma mesa é natural que nos inclinemos para digitar ou pegar algo, mas com isso forçamos a lombar, podendo ocasionar possíveis problemas na coluna como a cifose.

3 – Alongue-se

Ao levantar,  antes de dormir e durante o expediente é importante alongar-se. Exercícios simples e rápidos podem ajudar a manter a saúde da coluna, como também evitar lesões musculares. O alongamento favorece a circulação sanguínea e ajuda a colocar a coluna na posição certa, evitando deformações. Por isso, sempre que possível alongue-se durante o expediente. Há diversos exercícios para as mãos, pernas e coluna que podem ser feitos de forma rápida e simples sem chamar atenção dos colegas.

Se sua empresa possui aulas de ginástica laboral, não deixe de fazê-las. Aproveite, também, para conversar com o profissional sobre suas dores e dificuldades. Ele poderá orientá-lo sobre possíveis exercícios que irão ajudá-lo na postura.

4 – Não fique parado

Além do alongamento, é muito importante que você se movimente. Subir e descer escadas, deixar o carro mais longe para caminhar mais e levantar mais para tomar água já são algumas atividades que poderão lhe ajudar bastante a melhorar a postura.

Já fora do local do trabalho, invista na prática de exercício físico. Não tem tempo? Vale até fazer exercícios rápidos em casa mesmo. Há diversos aplicativos para celular com séries de exercícios que podem ser feitos na própria residência. Com pequenas mudanças no dia a dia, é possível adicionar mais energia e qualidade de vida. Invista em você.

A dor persiste? Procure ajuda médica

Se a dor é intensa ou persistente, na dúvida, é importante procurar um médico ortopedista que irá examiná-lo e solicitará exames para ver como está a saúde da sua coluna. Não espere que a dor nas costas piore para procurar ajuda médica. Quanto antes o diagnóstico, melhor será o prognóstico e mais rápido será o controle da dor.

Dia nacional de combate ao fumo: por que parar de fumar é preciso?

Em 29 de agosto, é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. A data, que foi criada em 1986, tem como objetivo reforçar as ações de sensibilização da população para os malefícios causados pelo tabaco. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 150 mil pessoas morrem no Brasil em decorrência do consumo do cigarro. No mundo todo, esse número chega a seis milhões. Considerada uma doença, o tabagismo é a dependência da nicotina, uma substância derivada do tabaco, presente nos cigarros, charutos, cachimbos e narguilés.

Após absorvida pelo corpo, a nicotina atinge no cérebro rapidamente, no máximo, até 19 segundos e provoca a liberação da sensação de prazer e bem-estar. Por isso, os fumantes recorrem ao cigarro várias vezes ao dia. Por outro lado, a fumaça do cigarro possui mais de quatro mil substâncias tóxicas que prejudicam o funcionamento do organismo todo, assim como são fatores de predisposição para diversas doenças.

Doenças causadas pelo fumo

“O tabagismo é causador de enfisema pulmonar, bronquite crônica e doenças cardiovasculares, por exemplo. Mais de 50 doenças crônicas são causadas pelo consumo do cigarro”, afirma o pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Elie Fiss. O especialista também destaca que o fumo está relacionado ao câncer de mama e AVCs.

Entre as substâncias tóxicas que mais comprometem o desempenho físico estão a nicotina, o alcatrão e o monóxido de carbono. Juntos, eles diminuem a elasticidade do pulmão como também o tamanho das artérias e aumentam os batimentos cardíacos. O tabagismo é responsável por 90% das mortes por câncer de pulmão e 25% das mortes por doença do coração. De acordo com a OMS, o fumo é a principal causa de morte evitável no planeta.

Atenção aos narguilés, cachimbos e cigarros artesanais

Há quem pense que os narguilés, uma espécie de cachimbo de água utilizado para fumar tabaco aromatizado, são menos prejudiciais que os cigarros tradicionais. De acordo com o oncologista do Hospital Santa Paula, Dr. Tiago Kenji, diversas formas de fumar o tabaco são prejudiciais. “O narguilé, cigarros artesanais e cachimbos provocam danos ao organismo. Em relação ao cigarro, por ser mais acessível, acaba sendo o mais perigoso”, explica o especialista.

Como parar de fumar

Por causar uma dependência química e psíquica, parar de fumar pode não ser tão simples. A boa notícia é que existe tratamento. “O tabagismo, por ser uma doença, necessita de tratamento multidisciplinar. Alguns pacientes conseguem parar sem nenhum auxílio, mas outros precisam de algum tipo de tratamento”, explica Dr. Elie Fiss.

Se não for possível parar de fumar de forma espontânea, a ajuda médica é necessária. Neste caso, existem opções como reposição de nicotina, antidepressivos, grupos de apoio psicológico ou terapia individual.  Os benefícios à saúde começam logo após parar de fumar.  Estima-se que em 20 minutos a pressão arterial e a frequência cardíaca voltam ao normal. Em duas horas, a nicotina não está mais no sangue. Já em três meses a função pulmonar começa a melhorar. “Algumas doenças quando instaladas não são reversíveis, mas parar de fumar retarda a sua evolução”, explica o pneumologista do Hospital Oswaldo Cruz. O especialista destaca que em 10 anos o risco de sofrer infarto fica próximo ao de quem não fuma e, em 15 anos, o risco de desenvolver câncer de pulmão iguala-se ao de um não fumante.

Combatendo o estresse: dicas de prevenção pelos principais especialistas do coração

Dizer que está estressado virou algo comum ou até mesmo banal. Com a vida agitada e com muitas cobranças no dia a dia, quem nunca se sentiu com mau humor ou com aquela sensação de exaustão, não é mesmo? Momentos de estresse fazem parte da vida de qualquer ser humano e, geralmente, são provocados por algum gatilho emocional, como problemas no trabalho, vida afetiva, pensamentos negativos, perdas importantes, entre outros.

“O estresse representa uma situação de perigo para o organismo, que libera uma série de neuro hormônios, como a adrenalina, que teoricamente prepararam a pessoa para lidar com aquela situação. Com isso, a respiração fica acelerada e o coração dispara”, explica Leopoldo Piegas, médico cardiologista e coordenador do Programa de Infarto Agudo do Miocárdio do Hospital do Coração.

Há pessoas que lidam melhor com o estresse, outras sofrem diariamente os efeitos desse problema. Um alerta é quando o indivíduo começa a se sentir constantemente estressado. Ao contrário do que muitos pensam, o estresse pode trazer sérios riscos à saúde, principalmente, para o coração, órgão vital do corpo humano. Saiba mais.

Consequências do estresse para o corpo humano

O estresse pode atingir o corpo humano como um todo, trazendo complicações para diversos órgãos. No cérebro, há a diminuição da concentração, memória e até mesmo déficit de aprendizado. Já no sistema imunológico, o estresse pode reduzir a capacidade de lutar contra as infecções. Geralmente, quem vive estressado fica mais vezes com gripes e infecções urinárias.

O estresse também pode elevar o cortisol causando aumento de peso, além de gastrites, dores de cabeça, quedas de cabelo e até mesmo acelerar o processo de envelhecimento. Já em relação ao psicológico, pode causar depressão, ansiedade e até dependência. Com o intuito de relaxar, muitas pessoas recorrem ao álcool, drogas e desenvolvem vícios alimentares.

O coração é mais afetado pelo estresse. De acordo com o cardiologista Pedro Mekhitarian, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, há o aumento da pressão arterial, levando a um risco de acidente vascular cerebral (AVC). “Há o risco de ataque cardíaco e síndrome de Takotsubo, conhecida como síndrome do coração partido, que é uma cardiomiopatia induzida por estresse”, destaca.

Saiba como combater o estresse

A boa notícia é que é possível prevenir e combater o estresse, garantindo uma melhor qualidade de vida. Para isso, é importante o comprometimento do indivíduo em procurar soluções para o que sente e, principalmente, descobrir a causa do estresse. “É interessante que a pessoa tente relaxar o máximo que puder e busque entender o que está causando aquela situação de estresse. Assim, ficará mais fácil combatê-lo”, destaca Piegas.

Exercício físico, meditação e qualquer outra atividade que seja benéfica para a pessoa a ajudará a desestressar. “Atividades em geral que ajudem no equilíbrio emocional, físico e mental são importantes. Além da ajuda de profissionais como psicólogos”, explica Mekhitarian. O especialista também destaque que, em alguns casos, há a necessidade de medicação e acompanhamento com psiquiatra para ajudar o paciente a controlar e reduzir as crises de estresse. Além disso, é recomendado evitar o uso de substâncias estimulantes, como cafeína, energéticos e termogênicos. Seguem abaixo algumas dicas dos profissionais para se ter uma melhor qualidade de vida:

  • Meditação: com esta prática há o exercício e controle da respiração, importante mecanismo de desaceleração do corpo. São muitos os efeitos positivos da meditação, entre eles, o treino da atenção ao momento presente. Dessa forma, há uma educação da mente, o que desenvolve e aprimora a capacidade de lidar melhor com as emoções.

 

  • Alimentação equilibrada: certos alimentos têm relação com o cansaço, estresse e mal estar. Por isso, é importante investir em uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes e sementes que são benéficas para o sistema nervoso. A alimentação é essencial para se ter boa qualidade de vida.

 

  • Exercício físico: A prática regular de atividades físicas é muito importante para diminuir a quantidade de cortisol no organismo, um hormônio ligado ao estresse e liberação de endorfina, responsável por promover o bem-estar.

 

  • Vá ao cardiologista: vive constantemente estressado? É importante visitar um cardiologista. “Como o estresse pode elevar a pressão sanguínea, é recomendado que pessoas que estejam nestas situações procurem um cardiologista para fazer exames e checar se está tudo bem com a sua saúde. A prevenção é sempre o melhor para a saúde”, explica Piegas.

Como a tecnologia do prontuário eletrônico ajudou (e muito) na rotina de médicos, hospitais e pacientes

No Brasil, o uso do prontuário eletrônico foi regulamentado, em 2002, com características definidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Desde então, as unidades de saúde têm buscado implementar essa tecnologia, com o objetivo de melhorar os serviços oferecidos. Dos hospitais membros da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados), 84% já possuem o serviço de prontuário eletrônico implantado. A chegada dessa tecnologia nos hospitais revolucionou a forma como os profissionais da área trabalham.

Mais organização e eficiência

As mudanças acontecem, principalmente, em termos de organização, eficiência e agilidade no atendimento ao paciente. Antes da utilização do prontuário eletrônico, os médicos precisavam registrar os dados de forma manual, em folhas de papel, o que aumentava as possibilidades de erro. Na era do papel, não era incomum existir dificuldade em compreender o que foi diagnosticado ou prescrito devido a uma letra ilegível ou por manchas no documento. E, sem a informação precisa, a saúde do paciente pode ser colocada em risco.

Com o prontuário eletrônico, todos os dados necessários para o atendimento estão disponíveis de maneira rápida e fácil, em apenas alguns cliques. Dessa forma, é possível diminuir o tempo de atendimento e fornecer um diagnóstico mais específico de acordo com o histórico médico do paciente.

Integração entre as áreas médicas

Outro benefício oferecido pelo uso do prontuário eletrônico é a integração de diversas áreas médicas. Afinal, as informações de todas as especialidades pelas quais aquele paciente passou estão organizadas e contidas em um único lugar, permitindo assim que os médicos conheçam profundamente o quadro clínico. Sem essa tecnologia, o serviço integrado das especialidades necessitava de uma logística maior, já que não é sempre possível ter todos os médicos necessários ao mesmo tempo na unidade hospitalar para a discussão do quadro clínico.

Exames e arquivos de imagem em um só lugar

Uma grande dificuldade ainda é a centralização de todas as informações sobre o paciente. Anexar arquivos, fotos e cópias de exames junto ao histórico de diagnósticos e tratamentos é uma das vantagens do uso do prontuário eletrônico. Assim, é possível formar uma linha do tempo, possibilitando uma visão global da saúde do paciente.

Mais segurança e sustentabilidade

A segurança na forma como os registros são mantidos também é um benefício da utilização do prontuário eletrônico. Os prontuários em papel muitas vezes acabavam passando de mão em mão até chegar ao médico que precisava daquela informação. Já com o sistema não há esse risco, pois todos os profissionais têm sua senha e cada função tem um nível de acesso permitido.

Além de facilitar o dia a dia dos profissionais da área da saúde, a implementação do prontuário eletrônico também auxilia na sustentabilidade do planeta. A tecnologia contribui com a diminuição drástica da quantidade de papel utilizado nas unidades de saúde.  O número menor de folhas utilizadas ainda garante um menor custo para as unidades de saúde com esse item, além da redução da necessidade de espaços físicos para o armazenamento desses arquivos nos hospitais.