Tecnologia

Tecnologia 5G vai possibilitar cirurgias à distância

31 de março, 2022

Com velocidade ultrarrápida e estabilidade de conexão, a nova tecnologia de internet 5G promete revolucionar procedimentos hospitalares. Entre eles está a cirurgia robótica, afirma Rodrigo Garcia, membro da Comissão de Ética Médica do Hospital Vera Cruz (Campinas-SP) e pioneiro em cirurgia pediátrica robótica no interior de São Paulo. Cem vezes mais rápido do que o atual 4G, o novo sistema vai possibilitar que procedimentos invasivos e cirúrgicos ocorram com paciente e médico em cidades diferentes.

“A tecnologia 5G vai permitir qualquer interação à distância entre médico e paciente com mais segurança de estabilidade de conexão. O impacto na cirurgia robótica será enorme, já que a telecirurgia será realizada com a mesma precisão e segurança que temos atualmente, operando no mesmo local em que o paciente está”, afirma Garcia.

Ele explica que, na técnica robótica, o cirurgião manipula o console – controles nas mãos e pés – para realizar os movimentos do procedimento cirúrgico, que são reproduzidos fielmente pelo robô no paciente.

Segundo o cirurgião, a expectativa é que a tecnologia seja implantada no Brasil até o segundo semestre de 2022 e, a partir daí, os hospitais mais abertos à inovação começarão a usar o 5G em benefício dos pacientes e profissionais da saúde. “Imagino que, assim que a tecnologia 5G for implantada nos grandes centros, em seguida poderemos ter a disponibilidade em cirurgias à distância.”

Diante do cenário de constante evolução tecnológica do setor de saúde, a previsão é de uma expansão da telecirurgia em poucos anos. Segundo Garcia, há previsões de que, até 2025, hospitais poderão ter salas ocupadas por robôs e humanos conectados por 5G com cirurgiões em qualquer lugar do planeta.

“Não dá para imaginar o quanto será inovador termos a possibilidade de conectarmos máquinas para realizar vários trabalhos em diversas áreas com a Internet das Coisas. Já sabemos que, na telecirurgia, será possível ajudar pacientes à distância, mas como podemos imaginar que, em breve, alguns robôs serão capazes de ‘aprender’? É um avanço sem precedentes na área da saúde”, define Garcia.